Papel duplex, triplex, duodesign e outros mais

80
99867

Muitos leitores gostaram de conhecer o papel couchê. Dando continuidade vou apresentar outros papeis muito usados para fazer cartões de visita, folhinhas e calendários.

O que é um papel duplex?

O papel duplex é um papel muito usado na área de embalagem, que tem como característica principal, uma boa espessura, verso sem nenhum tratamento podendo ser esbranquiçado ou pardo, frente com cobertura branca tratada para receber impressão.

Não sei se é a melhor definição, mas creio ter passado para os leitores a característica deste papel. Ele é bem usado para fazer embalagens, cabeças de folhinhas (daquelas personalizadas em tipografia) e calendários.

  • Conheça o nossos Cursos Online e aprenda a criar seus próprios projetos gráficos. Domine o Photoshop, Illustrator e InDesign como um designer gráfico profissional.

Ele não preza por ter uma excelente qualidade. É o fusquinha da impressão de embalagem e pouco a pouco tem sumido do mercado para as opções mais “nobres”. Mas ainda existe e merece ser citado.

A gramatura vai de uns 180 g a 400 g aproximadamente, variando de um para outro fornecedor.

folhinhas em papel duplex

O que é papel triplex?

O papel triplex nada mais é que o papel duplex, com revestimento em ambos os lados.

O revestimento do verso pode ser na mesma qualidade da frente ou ligeiramente inferior.

Isto deixa uma aparência melhor nos produtos, pois em ambos os lados aparece a parte branca do papel, podendo ser impresso sem problemas em ambas as faces.

Ainda não é um papel nobre, com fibras ainda grosseiras, mas tem características melhores do que as encontradas no papel duplex.

Ele já serve para fazer embalagens com melhor aparência e até mesmo cartões de visita, se bem que na prática as melhores gráficas utilizam papéis ainda melhores para fazer seus cartões.

A gramatura é a mesma encontrada nos papeis duplex. Vai de 180 g a 400 g.

O que é papel DuoDesign?

Vocês devem ter percebido que o mercado vem melhorando o papel através do tempo.

O papel DuoDesign,ou melhor, Supremo DuoDesign,  é um papel fabricado pela Suzano para fazer frente ao avanço do papel couchê na impressão de cartões de visita e outros produtos grossos.

Ele é um triplex de alta qualidade, com revestimento ainda superior ao do papel couchê, adquirindo assim as melhores características do papel triplex, que é a boa espessura e firmeza, com o melhor do papel couchê que é a alta qualidade da cobertura sobre o papel.

Por isso são atualmente usados para fabricar os produtos com laminação fosca e verniz localizado. O papel couchê tende a envergar ao receber a laminação dos dois lados e não se presta a este tipo de serviço. Já o Supremo DuoDesign dá show na hora de ser impresso e laminado  em ambas as faces.

Ele existe nas gramaturas 250, 300 e 350 g e é atualmente o melhor papel do mercado.

Outros papéis para embalagens e cartões de visita

Não é por que eu citei o papel duplex, triplex e duodesign, que só se usará estes papéis.

O mercado também é atendido pelo papel couchê, e por variações do duplex e triplex.

A própria Suzano apresenta os papeis Supremo como substitutos ao papel Supremo DuoDesign, para trabalhos menos nobres, mas com qualidade superior aos triplex de outras marcas.

Quase todos os fabricantes de papéis tem produtos que se enquadram dentro dessas categorias, se bem que esquecem de expor na internet para poderem ser citados por nome neste artigo.

Cabe ao gráfico ter uma boa lista de distribuidores e testar as várias opções do mercado, em suas próprias máquinas, descobrindo quais são os melhores para seus equipamentos.

Isto vale principalmente para as máquinas “não offset”, como lasers, copiadoras e impressoras digitais. Nem sempre a superfície aguenta bem o calor da impressão e o tratamento posterior de dobra, laminação, verniz, etc.

Não tem regra, tem que testar e perguntar aos distribuidores se alguém já tem usado o determinado papel para este tipo de aplicação.

Embalagens em supremo duodesign

A escolha do papel correto

Não é por que o Supremo DuoDesign é superior, que vai ser usado em todas as aplicações.

Se você precisa abaixar o custo de uma embalagem, devido a ser destinado a um produto de baixo valor agregado, pode ser necessário ter que usar até mesmo um papel duplex.

Tudo vai depender de quanto se pode gastar com o produto.

Uma fábrica que está começando e tem um produto bem simples, destinado por exemplo as lojas de R$ 1,99, com certeza vai optar por produtos em duplex.

Já uma grande fabricante de alimentos, que faz diferenciação de seus produtos nas gôndolas, com embalagens com um branco intenso, com laminação e relevo, vai acabar optando por papéis de primeira qualidade.

Vai depender de quanto vai poder pagar pela embalagem ou cartão de visita.

Outras coisas a serem observadas

Eu falei muito da espessura do papel e da cobertura.

Mas tem outras coisas importantes ao se avaliar o papel.

Uma das mais marcantes é a acidez do papel. Essa acidez dá a cor do branco do papel. Num sol intenso acabam todos ficando bem parecidos. Mas abaixando um pouco o nível de iluminação e colocando vários papéis lado a lado, percebe-se que nem todos são realmente brancos. Alguns ficam cinzentos, outros rosados ou azulados. Faça o teste… é bem interessante.

Isto acaba percebido pelo consumidor no resultado final.

Outra característica menos visível é a facilidade da tinta de ser absorvida pelo papel. Alguns papéis não recebem camadas muito grossas de tinta. Com isso a impressão acaba soltando, parecendo manchada nas áreas chapadas.

A temperatura máxima admitida pelo papel também é importante. Se o papel não aguinta alta temperatura, pode amarelar ao ser laminado. Também pode acontecer da laminação ficar presa a tinta ao invés de aderir ao papel, podendo soltar facilmente. Você já deve ter visto nos cantos do impresso a laminação saindo e ao puxar a pontinha do plástico, ver toda a impressão saindo… isto se deve a má qualidade do papel usado.

Posso citar ainda as fibras do papel,que podem provocar encanoamento ao ser tratado e impresso e muitas outras características que fogem do meu conhecimento.

O importante é saber que nem todos os papéis são iguais e que nem sempre uma pequena economia no valor do papel vai valer a pena. Vale a pena avaliar atentamente estas características e principalmente fazer testes.

Principais fornecedores de papel do Brasil

Gostou das informações? Está querendo achar fornecedores?

Com esta caixa de pesquisa aqui você poderá encontrar os principais fornecedores do Brasil.

Digite o papel procurado e boa sorte na pesquisa.

Custom Search

Se precisa saber um pouco mais sobre papel, tenta estes links:

Papel duplex, triplex, duodesign e outros mais

Fabricação do Papel – Um elemento indispensável

Entendendo de gramatura e tipos de papel

Papel couchê – Saiba o que é!

Conclusão

A escolha do papel adequado a sua aplicação é uma coisa muito importante.

O objetivo deste artigo, aliado ao artigo anterior sobre papel couchê, é trazer aos gráficos e copistas, informações básicas sobre a escolha do papel.

Espero ter atingido este objetivo!

Se você tem mais alguma dúvida sobre papéis, traga para nossa área de comentários, para enriquecer ainda mais esta postagem.

Quer acompanhar nossos artigos. Assine nossa newsletter aqui na lateral do blog.

E não deixe de nos indicar nas redes sociais.

Até a próxima postagem!

80 COMENTÁRIOS

  1. Boa Noite,

    Amei a matéria. Estou precisando saber qual tipo de acabamento é utilizado nos cartões artesanais para adesivo de unha. Já tentei verniz localizado e verniz uv e os adesivos não soltam com facilidade, parece que o papel absorve a base e ela gruda no papel.

    Já procurei em diversos sites, mas nenhum explica que acabamento é esse nos cartões.
    Se puder me ajudar.

  2. Bom dia!
    Provavelmente você ja viu aqueles “cheirinhos automotivos”…
    Você saberia me dizer qual o tipo de papel empregado p faze-los? Estou querendo abrir uma fábrica deles, mas sinceramente estou meio perdida. Qual seria a maquina de recorte utilizada?
    Ficaria muito grata se pudesse m orientar.
    att

    • Michele,
      Eu não posso te ajudar nisso. Eu não conheço o produto.
      Existe toda uma tecnica para colocar cheiro em papel… nem todo mundo domina.
      No mercado em geral se usa offset rotativa ou flexografia, com recorte inline, fazendo altas tiragens… isso custa ao menos uns 200 mil reais em equipamentos (dai para cima).
      Em pequena escala pode-se tentar comprar as folhas impressas em offset, aplicar o cheiro com silk e cortar em corte e vinco tradicional… mas eu não conheço a tecnica de misturar o cheiro (essencia) na tinta ou verniz usado… mas se eu fosse experiemntar faria por ai… verniz + essencia aplica com silk. Testa com papel comum e depois faz a impressão nos que for vender.
      espero ter ajudado.
      Abraços,

    • Esses papeis são indicados para impressora offset.
      São poucas as impressoras domesticas que imprimem neles.
      Pode ser que alguma laser mais parruda consiga puxar esse papel nas gramaturas de 250 e 300 g.
      Mas tem que testar.
      Abraços,

  3. Ola Paulo, acompanho sempre seu blog e agradeço a atenção e tempo !! por ventura saberia me informar que tipo de papel utilizo para caixa onde colocarei alimento, falo de caixa de batata frita, pizza, hot dog …uns falam que são aprovados para alimentos, outros dizem que tem que ser branco (mas as caixas de pizza por exemplo são papelão, muitas ainda de baixa qualidade) e nem por isso deixamos de come-la …rsss…..falo porque a partir do momento do lado externo vou utilizar impressão o de dentro tem que ser branco ..mas que tipo de papel seria ideal para colocar o alimento dentro além claro de custo, vejo grafica vendendo lotes de 1.000 mas observo que a qualidade parece ao menos baixa sem contar a gramatura …claro que se eu fizer com glossy em preço não chego nunca …alguma sugestão ?? agradeço e abraço …

    • Hercules,
      resposta dificil… uma coisa é o que fazem e outra o que a lei exige. Isso vai muito além da caixa em si pois inclui o ato de embalar.
      O papel em geral é limpo, mas pode atrair insetos se mal estocado.
      Quando sai da fábrica de papel está 100%, mas ao ser manuseado pode haver contaminação.
      Uma coisa que fazem é laminar (colocar plastico) na face que pega os alimentos. Isso sela a embalagem de organismos.
      A embalagem tetrapak cria camadas de papel, aluminio e plastico para proteger, garantir a temperatura e dar suporte ao material.
      Os grandes distribuidores tem embalagens para batata frita e hamburguer que são vendidas livremente para festas de aniversario e coisas do tipo… são simplesmente o mesmo material usado nos cartões de visita, sem nenhum cuidado adicional. Nem mesmo com a tinta usada.
      Agora uma industria que comercializa alimentos procura a vigilancia sanitaria e verifica as exigencias para determinado alimento, antes de iniciar a produção grafica. Se for o seu caso é o que eu indico fazer.
      Se o processo for todo feito direitinho não haverá contaminação… a contaminação vem em geral no processo e não na embalagem.
      Mas convenhamos que colocar alimento muito gorduroso ou liquido em embalagem de papel não vai dar certo… o material tem que ser compativel com o uso.
      O melhor a fazer é ir no supermercado e prestar atenção nas soluções dadas pela industria e procurar quem faz parecido.

      Abraços,

  4. Oi Paulo, parabéns, você intende e explica muito bem sobre papéis. Aprendi muito com as respostas que você dá. Estou aprendendo e gosto de fazer cartões POP UP de felicitações para presentear os amigos. Não sou profissional, nem tenho pretensões comerciais e é bem artesanal. Puro prazer de fazer. Gostaria de usar um papel de gramatura, talvez 180g, que fosse resistente às dobraduras e aos movimentos das figuras do cartão. Li os comentários super importantes sobre tipos de papéis porém não cheguei a uma conclusão. Poço usar minha impressora HP jato de tinta para uns, aquarela para outros e caneta colorida para outros. Ficarei grato por sua ajuda.

    • Sidnei,
      O seu problema não é o tipo de papel e sim o processo.
      Todo papel apresenta fibras e quanto mais grosso ele é, menos propício a ser dobrado será.
      Por isso existe o VINCO. Pega um clips de papel e passa com uma regua no local onde vai ser dobrado… quanto mais grosso e arredondao o material do clipos melhor (usar um clips grande)… verifica como vai melhorar seus produtos.
      isso é uma técnica de corte e vinco… dá uma olhada nas postagens da cardquali sobre corte e vinco.
      deixa secar bem a impressão antes de fazer o vinco.
      Testa e me fala o que achou.
      Abraços,

    • Gorete,
      depende da impressora usada e a tinta que esta nessa impressora.
      Livro em geral é feito em papel offset (o chamequinho das papelarias) ou o papel pólem, que é mais raro. costuma ser na gramatura 75 ou 90 g.

      A jato de tinta com tinta corante vai imprimir, mas se pingar água a tinta vai escorrer e manchar.
      Com a tinta pigmentada isso já não ocorre.
      A maioria das impressoras tem como padrão a tinta corante… a tinta pigmentada normalmente só nas maquinas que colocamos o bulkink por nós mesmos e compramos a tinta com essa finalidade.

      Minha dica é… compra o papel da HP… tem dele na Kalunga na gramatura 75 e 90 g e custa o mesmo que o papel comum… fiz a experiencia e parece papel fotografico.
      Tenta lá.
      Abraços,

  5. Boa tarde, Paulo o que as meninas e eu queremos saber sobre os tais papeis para adesivos de unha e o seguinte.”algumas gráficas fazem um cartão no papel couché do tamanho e estilo de um cartão de visita mais com desenho de unhas para desenhar em cima, mais o cartão fica com um brilho por cima como se fosse plastificado assim quando você passa base de unha depois de seco ela sai, o cartão não absorve a base (não gruda)”. Você saberia informar que processo é feito se é laminado, se é com verniz total ou outro processo? O papel eu sei que é o couché 300 g.
    Obrigada.

  6. Definição correta de papel “Couchè ”

    É um papel que recebeu um revestimento de tinta formulada basicamente por pigmentos (caulim + carbonato de cálcio) + ligantes (estireno butadieno-Látex), amaciantes, lubrificantes e outros aditivos. Pode ser revestido somente de um lado (L1) ou em ambas as faces (L2). Podem ser brilhante ou fosco. Normalmente a quantidade de tinta aplicada varia de 18 até 30 g/m2).

    • Paulo,

      Obrigado pelas informações.
      Eu falo coisa parecida nas postagens, mas chamo de “cola” entre aspas por desconhecer esses detalhes técnicos que nos apresentou…se bem quer não estou muito errado… o caulim + latex forma uma cola não é?
      Mas é muito bom ter essas informações aqui.
      Abraços,

    • Danila,
      Eu não sei direito… eu “ouvi dizer” que o cartão com laminação fosca e verniz local pode ser usado nessa aplicação.
      Tem um pessoal vendendo ele no mercado livre, mas não parei para testar.
      Existe também umas folhinhas pré-formatadas para essa finalidade para serem impressas em jato de tinta.
      Não sei qual dos dois produtos você se refere… eu ainda não trabalho com esse produto.
      Abraços,

  7. Olá Paulo Valle, tudo bem?
    Preciso de um papel para cartão de visita que seja todo fosco e aceite escrito em caneta no verso, sem nada de verniz localizado! Será que o DuoDesign é a melhor opção? Ele trabalha em RGB ou só CMYK? É muito mais caro que o couchê? Quero bom acabamento e gramatura alta, 300 ou um pouco mais.

    Quais gráficas você me indica aqui no Rio em relação a custo-benefício? Preciso pedir uns orçamentos…

    Desde já obrigado!

    • Fernando,
      Vejo muita confusão na sua pergunta.
      Existe o cartão de visita sem verniz em nenhum lado, porém geralmente ele é feito no couchê brilho. Os pequenos bureaus com impressão laser costumam fazer também no couchê fosco, mas fica brilho da impressão deles (tipica da laser).
      O papel couchê admite escrita sobre ela. O meu cartão em couchê 300 g e verniz só frente 4×4 pode te atender, mas no couchê brilho. O cartão com laminação fosca seria o ideal, mas você não quer ele.
      Na verdade o que você deseja não existe, pois sempre haverá o brilho da tinta.
      outra coisa confusa… o papel não interfere se vai ser rgb ou cmyk… isso é detalhe da impressora… em geral é melhor o cmyk.
      Ou seja, não tenho como indicar nenhuma gráfica pois todas trabalham com couchê brilho ou laminação fosca ou impressão laser… tres coisas que vão contra a sua necessidade.
      Você não está se focando por demais em detalhes desnecessários? Qual a sua real necessidade? é permitir a escrita ou o visual do cartão? ou é o custo do cartão laminação fosca?
      Abraços,

  8. PRECISO DE UM PAPEL, tipo supremo fosco, para trabalhar com giz seco, gramatura máxima que tiver, no tamanho de 96 x 66
    lojas em Juiz de Fora?

  9. ola

    quer dizer que nao devemos usar o couchê para laminação fr e vr ??

    seria o Duo??

    parece sites gráficos tem la couche lam F e F pra vender.

    grato

    • O couchê e o Duodesign servem para laminar dos dois lados. O duplex e o triplex é que vão ser comprometidos por não terem a superfície de trás lisas como na frente.
      Em termos de qualidade teremos da pior para a melhor: duplex, triplex, supremo, couchê, supremo duodesign… e atenção o couchê tem que ser o L2 (liso dos dois lados).
      ok?
      Abraços,

      • ola

        bom??

        recebi promoção de papel duo design para cartao visita.

        o duo é melhor que o couchê?

        ao comprar o duo para cartão visita estarei fornecendo produto melhor ao cliente??

        grato

      • O papel duo design é um papel supremo de “raça”.
        O papel supremo tem uma das superficies meio aspera… por isso ele perde do couchê.
        O duodesign tem as duas superficies preparadas (lisas) e tem caracteristicas de ser mais encorpado do que o couchê… por isso ele tem as boas caracteristicas do supremo e do couchê, sendo superior a ambos.
        Nota-se isso principalmente no uso em produtos com laminação fosca e verniz localizado… o resultado geral com esses acabamentos é melhor no duodesign.
        Então a resposta é SIM… o produto em duo design é superior ao em couchê.
        Abraços,

  10. Olá Paulo.
    Estou buscando algum tipo de papel similar ao de ‘passaporte’ para o convite de aniversário da minha filha, que seja grossinho e que não perca qualidade quando dobrar. Poderia me indicar algum para pedir em alguma gráfica?
    Muito obrigada!!

  11. Olá! Estou precisando fazer algumas sacolas de papel com pequena quantidade .
    Gostaria de saber qual papel usar e onde posso encontrar este papel para comprar.
    Preciso de um papel de cor clara.
    Att, José G.

    • José,
      O papel color plus ou similares deve te atender.
      Mas também dá uma olhada no site da AtualCard e concorrentes e procura o produto Sacolas… acho que vai te atender tanto em preço como em qualidade e pode ser impresso na cor que bem entender.
      Abraços,

  12. […] É um papel intermediário entre o offset e o couchê. A característica principal é ser mais grosso que o offset de mesma gramatura e ter a parte selante apenas numa das faces. Existem muitas variações segundo a qualidade, seguindo agora da de pior qualidade para a melhor: Duplex (usado em folhinhas – textura de jornal no verso), Triplex (o duplex um pouco melhor- verso branco), Supremo (É o triplex de marca boa- o verso é bem lisinho), Supremo DuoDesign (é uma marca de um papel que leva a parte selante dos dois lados, porém com a mesma “grossura” dos papeis supremos. Existem especificamente para atender a demanda de cartões e capas de livros, indo aproximadamente de 200 gr a 400 gr. Muito usado também por algumas gráficas, sendo o supremo um substituto barato do couchê e o supremo duodesign um pouco mais conceituado que o couchê. Quer saber mais deles? Tenta essa postagem aqui: Papel duplex, Triplex, duodesign e outros mais! […]

  13. Olá bom dia, penso em fazer cartões de visita numa officejet pro 8100 em papel glossy fotografico, mas o preço dele aqui e de 1,50, no caso não compensaria fazer o que me recomenda? vou comprar uma impressora a laser. acha melhor partir para o couchê nesta?

    • Mikael,
      Dificilmente você terá preço bom e excelente qualidade usando uma impressora de mesa para concorrer com a offset.
      Uma laser colorida comum vai manter o custo de tinta em torno de R$ 0,80 a 1,50 e uma impressora de produção (laser) vai chegar a uns R$ 0,40 a 0,60 a A3, o que ainda é muito. Uma jato de tinta com bulk até chega perto do valor necessário ficando nuns R$ 0,03 a 0,06, mas vai perder no valor do papel fotográfico e no tempo de impressão.
      E nenhuma delas vai te dar um verniz total no material e um papel legal como o couchê ou duodesign.
      Para pequenas tiragens de pessoas que precisam urgente do produto e vão pagar mais caro, dá para usar uma dessas impressoras de produção que falei como por exemplo uma ricoh 20509 usada e terá uma excelente máquina. Dependendo de quanto se cobre pode até usar as impressoras mais em conta, sempre tomando cuidado com os custos.
      Agora se é para concorrer com as grandes distribuidoras não vai dar mesmo. Imagine o seguinte; por que alguém usaria uma impressora offset de 1 milhão, guilhotinas de 30 a 50 mil e envernizadoras in lane ou separadas de 30-60 mil se tivesse como produzir bom e barato com menos de 10 mil? Eles já teriam mudado todo o parque gráfico deles, não teriam?
      Abraços,

  14. Olá Paulo. Tudo bem?
    Estou fazendo películas de unhas. E vi que dá para fazer com verniz, mas não aquele craquelê, não sei se é de resina com celulose. Enfim estou com muita duvida, de qual verniz é. Queria uma película de qualidade. Poderia me ajudar? Obrigada

    • Eu gostei muito da invenção do celio. Bem bolada mesma.
      Para quem vai fazer pequeno número de encadernações pode ser a solução.
      Para os casos em que precise fazer muitas encadernações fica um pouco a desejar, já que leva cerca de meia hora secando.
      Mas mesmo com as limitações é uma criação fantástica e bem barata… confiram!
      Abraços,

  15. […] É um papel intermediário entre o offset e o couchê. A característica principal é ser mais grosso que o offset de mesma gramatura e ter a parte selante apenas numa das faces. Existem muitas variações segundo a qualidade, seguindo agora da de pior qualidade para a melhor: Duplex (usado em folhinhas – textura de jornal no verso), Triplex (o duplex um pouco melhor- verso branco), Supremo (É o triplex de marca boa- o verso é bem lisinho), Supremo DuoDesign (é uma marca de um papel que leva a parte selante dos dois lados, porém com a mesma “grossura” dos papeis supremos. Existem especificamente para atender a demanda de cartões e capas de livros, indo aproximadamente de 200 gr a 400 gr. Muito usado também por algumas gráficas, sendo o supremo um substituto barato do couchê e o supremo duodesign um pouco mais conceituado que o couchê. Quer saber mais deles? Tenta essa postagem aqui: Papel duplex, Triplex, duodesign e outros mais! […]

  16. Olá Paulo , sou estudante do curso de celulose e papel , e estou elaborando um trabalho sobre produção de papel triplex e tenho algumas duvidas ,se poder me ajudar ficarei muito grato!
    1-Qual tipo de matéria prima para a produção?
    2-Quais são as principais características?
    3-Quais as utilizações
    4-Qual a produção nacional em toneladas / ano
    5-Características gerais da maquina de papel que o produz
    6-Quantas fabricas existem no brasil?

    Desde de já muito obrigado!

    • Welligton,
      Não tenho essas respostas, mas gostaria muito de recebe-las após a sua pesquisa.
      Acho que o pessoal da Suzano pode te passar alguma coisa, pois eles tem um dos melhores papeis tríplex do mercado.
      http://www.suzano.com.br
      Descobrindo algo e querendo transformar em post pode me mandar que eu publico.
      vai ser bom para seu currículo.
      Abraços,

    • Prezado Welinton –

      segue composição dos melhores triplex do mercado:

      Base: normalmente fibra longa de softwoods branqueadas com baixo grau de refino
      meio: pasta semiquímica – responsável por Bulk
      cobertura: Fibra curta de hardwoods branqueadas com grau de refino em torno dos 30 a 40 ºSR – boa printabilidade
      coater: tinta a base de carbonato e caulim ou dioxido de titanio.

      os triplex geralmente são usados para fabricar cxs de remédios e

      • Gilberto,
        Obrigado por dividir a sua experiencia conosco. Os graficos em geral não conhecem esses dados sobre os papeis.
        Te convido a escrever algo sobre o assunto para ser colocado aqui no blog (com a sua assinatura e links de seu interesse).
        Estamos a ordens.
        Abraços,

  17. Oi Paulo!
    Primeiro, agradeço bastante a sua atenção. Este é um dos poucos sites onde podemos encontrar esse retorno e carinho com seus leitores. Adoro suas publicações, já me ajudaram muito.
    A respeito da tinta, a que uso é pigmentada. Será que a tinta corante pegaria no Duo Design ?

    • Ah! Quanto à sua indicação para o papel fotográfico Glossy, eu já uso para outros fins e fico muito feliz com o resultado, mas estava precisando de uma opção de papel mais grosso e resistente para embalagens. Por isso minha frustração ao ver que a minha impressão não fica boa em papel Duplex/ Triplex.

  18. Gostaria de saber qual o tipo de papel que eu devo usar para fabricar películas de unhas…precisa ser um papel que seja bem liso para que a película possa desprender depois de seca…Estou fazendo no plástico de pasta L,mas minhas clientes estão reclamando que a película fica muito grudada e difícil de remover..no caso preciso de um papel tipo aqueles que vem com as etiquetas coladas…mas não quero comprar com etiquetas,senão vou precisar desgrudar as etiquetas para usar somente a parte liso…por favor me ajude,já pesquisei por tudo e ninguém sabe me dizer o nome desse papel.Obrigada!!

    • Ola, também gostaria de saber sobre esse papel, são pra películas 100% base. Películas impressas, a unica coisa que sei também é que esse papel é muito parecido com as folhas de etiquetas, quando são destacadas e fica só a parte lisa. Se alguém poder ajudar, agradeço.

      • Iara,
        Acho que o que você procura é a chamada de Whater Transfer Print.
        Tem esse papel a venda no mercado livre para ser impresso em jato de tinta comum.
        Tem gente usando em brinquedos e unhas.
        Abraços,

  19. Olá Paulo! Tudo bem?
    Gostaria de saber se no papel Supremo Duo Design é possível fazer impressão Jato de tinta.
    Pois no Duplex, Triplex e Couché, por exemplo, a impressão fica borrada. Então queria saber se no Duo Design o resultado é o mesmo, ou se ele é uma exceção.
    Agradeço a atenção.

  20. Boa tarde,

    Estamos precisando de papel Duplex na gramatura próxima ao 300 a 350 grs (papel rígido), na medida: 66×96, 64×88 ou 77×113. Vocês trabalham?

    Att,
    Grafica Everesty
    Tel: (19) 3863-7764

  21. ola acho achei,, nossa ja era ter montado meus mimos nao sabia onde comecar agora preciso saber qual seria papel uso para fazer cx presente flexivel qual gm seria por favor me diz decorado e liso com e sem brilho muito obrigado

    • Rosangela,
      Sua pergunta ficou muito complicada de entender.
      Não sei direito o que é uma caixa de presente flexível. No google imagens apareceu desde caixinhas simples de papel até caixas de pvc.
      A caixinha de papel é relativamente simples de ser feita. Pode-se trabalhar com os papeis duplex ou triplex, ou até mesmo couchê, uma impressora capaz de puxar esse tipo de folha… tem que ser laser. A gramatura que puxa só testando antes de comprar… o bom seria uma que imprimisse até 300 g e depois partir para o corte e vinco.
      Pode-se também terceirizar a impressão num grande distribuidor gráfico. Alguns imprimem também no PVC, que eu acho não ser possível na maioria das impressoras laser.
      Aqui no blog eu também falo sobre algumas impresoras e corte e vinco, basta usar a pesquisa que você encontra estes textos facilmente.
      Tendo dificuldades é só pedir pelos comentários que eu mando o link.
      Abraços,

    • Tem que testar.
      Com certeza o offset nessa gramatura funciona. Ele costuma ser vendido também como opaline ou diplomata.
      Outras duas boas sugestões são o couchê fosco e o supremo duodesign.
      Mas só se sabe mesmo testando a impressão. Papeis sem cobertura tendem a funcionar. Os com cobertura são os problemáticos.
      Abraços,

    • Obrigado pela dica.
      Eu não me sinto muito a vontade para falar do assunto, pois tenho pouca experiencia nele. Mas vou pesquisar um pouco e quem sabe não acontece uma postagem.
      Por enquanto, posso afirmar que a qualidade deles não vem diretamente se são originais, compatíveis ou remanufaturados. Para quem trabalha com eles e realmente entende do negócio, é perfeitamente possível fazer um remanufaturado de excelente qualidade. Existe todo um “lance” de tecnologia de “cristalização” e moagem do toner… muitas vezes associada aos fabricantes da impressora. Mas na maioria das vezes estes produtos são desenvolvidos por outras empresas que “oferecem” a vários fabricantes e até mesmo não fabricantes.
      Mesmo o original pode ter variações por problemas na compra desses fornecedores ou troca de um fornecedor por outro, buscando redução de custos. No final, um cartucho remanufaturado, desenvolvido por um bom profissional, pode ser melhor do que o cartucho original, vindo da fábrica que quis economizar.
      Sei que a maioria dos remanufaturados na verdade são feitos por pessoas mal preparadas e que nos originais se espera mais qualidade… mas é bom saber que as vezes ocorre exatamente o contrário.
      Abraços,

    • Valeu.
      Só mais uma coisa… estamos sempre buscando assuntos para abordar. Se tiver sugestões elas são muito bem vindas. As vezes paramos em frente ao micro e não sabemos sobre o que escrever… essas dúvidas ajudam muito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here