Guilhotina – essencial para qualquer gráfica!

42
53268

Um dos equipamentos mais importantes para qualquer gráfica é a guilhotina. Geralmente, falamos sempre das máquinas de impressão e as de acabamento especial, mas nos esquecemos que sem uma boa guilhotina, nada pode ser produzido na empresa. Eu mesmo aqui no blog tinha esquecido de falar sobre estes grandes equipamentos, apenas o citando em alguns trechos de posts. Hoje vou apresentar este equipamento para vocês.

O que é uma guilhotina gráfica

Guilhotina gráfica é um equipamento criado para cortar papel. A sua faca é especialmente projetada para fazer um corte preciso, sem deixar rebarbas.

Se você já tentou cortar papel com outros tipos de faca ou estiletes, deve ter percebido que cortar papel não é tão simples como parece. Tem sempre aquela pontinha do papel que cisma de rasgar ao invés de ser cortada.

  • Conheça o nossos Cursos Online e aprenda a criar seus próprios projetos gráficos. Domine o Photoshop, Illustrator e InDesign como um designer gráfico profissional.

Com a faca especialmente projetada, pode-se fazer acabamento de corte nos trabalhos impressos e preparar as folhas para entrar na máquina.

Agora pense, se precisamos preparar as folhas para entrar na máquina e precisamos cortar o trabalho depois de pronto, já viu que em gráfica nada é produzido sem passar por este equipamento. Entendeu a importância?

Tipos de Guilhotinas

Assim como todos equipamento, temos guilhotinas gráficas preparadas para atender diversos segmentos e “bolsos”.

Até uma pequena copiadora precisa ter um equipamento desses.

Então vamos começar descrevendo as guilhotinas das menores até as maiores, com as suas diferenças básicas.

Guilhotina de facão ou guilhotina de mesa

A guilhotina de menor porte é a guilhotina de facão. Nela o corte é feito por uma espécie de faca, presa numa extremidade e com uma manopla na outra.

Na guilhotina de facão ou guilhotina de mesa se preferir, podemos cortar poucas unidades de folhas (cerca de 5 folhas no máximo), com um corte que depende muito da mão do operador.

Elas normalmente tem pequena dimensão, indo de um corte de uns 20 cm até mais ou menos o tamanho A3. As melhores marcas possuem sistemas para fixar as folhas no momento do corte e tem marcas para visualizar o local exato do corte.

Existe uma variação desta guilhotina, muita usada em gráficas que trabalham com embalagens e plotadoras, com uma faca com mais de 1 metro de comprimento. Servem principalmente para cortar papelão ondulado em grandes folhas, uma a uma.

guilhotina gráfica

Refiladora

A refiladora é uma variação da guilhotina de mesa, na qual substitui-se a faca gráfica por uma roda afiada.

Ela tem medidas similares as guilhotinas de mesa, indo dos 30 cm até pouco mais de 1 metro.

O corte é feito movimentando-se a pequena roda afiada ao longo de uma guia.

Com isso, temos um corte ligeiramente mais preciso do que a guilhotina de facão, sendo também uma boa opção para pequenas copiadoras e bureaus.

Guilhotina manual

Aqui começam as guilhotinas realmente úteis para as gráficas.

A guilhotina manual, tem um sistema que permite fixar uma pilha de papéis, de modo a cortar mais de uma folha ao mesmo tempo, com um corte preciso.

Existem dois parâmetros que são observados ao comprar uma guilhotina manual: A altura de corte e a largura de boca.

A altura do corte vai dar o número de folhas que podem ser cortadas simultaneamente.

A largura de boca, vai dizer o tamanho máximo do papel que pode ser cortado na máquina.

O corte em si, é feito por meio de um braço mecânico, que atua sobre a faca gráfica, amplificando a força do operador.

No mercado temos guilhotinas manuais que vão de 1 cm a cerca de 10 cm de boca, o que significa cortar de 100 folhas 75 g a cerca de 1000 folhas por vez. Só pra salientar, ela corta papeis grossos também, mas a quantidade diminui devido a espessura destes papéis.

A largura vi de 30 cm até pouco mais de metro. Quanto mais larga, maior o tamanho da folha a ser cortada.

Eu já usei uma guilhotina dessas com 70 cm de boca e sei o esforço que é para operar uma dessas, quando se trabalha com a largura total.

Mas devido ao preço e ao fato de que geralmente cortamos tamanhos menores, ela se torna uma boa opção para pequenas gráficas.

Com ela podemos pegar um papel tamanho padrão (66×96 cm) e cortar nos formatos mais comuns de offset de pequeno porte (F8 ou F9). Assim o papel fica pronto para entrar na máquina offset e após impresso podemos facilmente cortar os panfletos ou cartões impressos.

Existem outras melhorias implementadas nessas guilhotinas que merecem ser citadas.

Uma delas é o chamado batente. A presença dele e a firmeza com que é feito, permite um melhor esquadro das folhas, deixando as mesmas exatamente com 90 graus. Se o batente for meio “frouxo”, com a batida, vai dar variações, deixando a folha ligeiramente torta. Visualmente pouco se percebe, mas na hora da impressão a offset vai notar a diferença, perdendo papel.

Outra melhoria é o avanço e recuo da mesa. Um sistema de volante aproxima e afasta o batente traseiro (existe o traseiro e o lateral), apresentando uma régua que dá a medida exata do corte (por um visor).

Temos também a luz de corte, que mostra onde a lâmina vai pegar a folha, servindo para o ajuste fino.

Por último, tem o sistema de prensa, que abaixa o sistema de prensagem das folhas, deixando-as fixas no momento do corte.

Tem mais alguns detalhes, mas vou me ater a estes no momento… ao verificar os equipamentos para comprar veja as demonstrações dos vendedores e veja tudo que o equipamento te oferece como diferencial. Pequenas diferenças nos itens aqui apresentados fazem grande diferença na operação.

Guilhotinas semi-automáticas

Já falei anteriormente que uma guilhotina manual, embora imprescindível numa gráfica, tem um fator humano que é forçado em algumas situações.

O maior esforço é na descida da faca, pois exige bastante força para que o corte seja preciso.

Com isso os fabricantes resolveram automatizar esta tarefa, diminuindo o esforço do operador e melhorando o corte.

Assim colocaram um motor elétrico, de boa potência, para deslocar a faca de corte.

O acionamento é feito por botões ou pedais, geralmente dois, para evitar acidentes com as mãos, pois um dos maiores acidentes nas gráficas é o corte de membros nestes equipamentos.

A parte de ajuste do papel e descida da prensa continua sendo feita manualmente.

Quando a automação não é completa, chamamos estes equipamentos de semi-automáticos.

Aqui, começamos a ter mais algumas inovações, que vão ser obrigatórias nas guilhotinas automáticas.

Mas por enquanto, ficaremos apenas com o acionamento do facão.

guilhotina gráfica

Guilhotinas automáticas

Na guilhotina automática, tudo é automatizado. O operador não faz quase esforço. Ele trata apenas do papel.

Dentre os itens obrigatórios temos a movimentação da faca, da descida do balancim (é o nome da prensa) e a movimentação do batente traseiro.

O operador coloca as folhas na máquina, faz uso do batente lateral e traseiro para acertar a folha, depois usando botões de avanço e recuo do batente traseiro, posiciona a folha e com um comando duplo (para segurança) ele desce o balancim fixando as folhas e desce a faca, fazendo o corte.

Daí vem a tecnologia trazendo mais facilidades.

Algumas guilhotinas tem uma almofada de ar comprimido, que fazem as folhas deslizarem pela mesa da guilhotina. Folhas que pesam alguns quilos parecem não pesar nada, devido a pequenos furos na mesa. Com certeza tira um grande esforço do operador.

Outra melhoria é o posicionamento automático. Um pequeno computador controla a movimentação do batente traseiro, deixando as folhas sempre na posição correta. Você faz o ajuste inicial do trabalho e depois ele vai repetindo o trabalho sem nenhum esforço.

Imagine que você tem que fazer 30 cortes seguidos, num trabalho que entra na guilhotina 100 vezes. Imagine o ganho de tempo no posicionamento. Também é outro grande benefício para o operador, só que neste caso ele deve ser um pouquinho mais esperto para saber fazer uso deste recurso.

Existem outras melhorias, menos comuns, que não merecem ser citadas neste pequeno post, até mesmo por desconhecimento deste que vos fala (escreve). Estas melhorias devem ser analisadas ao adquirir o equipamento.

Uma coisa que merece ser citada é o tamanho dos equipamentos.

Quanto mais automatizada, maiores ficam as dimensões e peso, devido aos motores usados.

Como diminui o esforço, também pode-se ter uma maior largura de boca e de mesa. Já vi equipamentos com mais de 2 metros de boca e com várias toneladas. Um equipamento desses não entra em qualquer ambiente.

O fator tamanho deve ser levado em conta ao adquirir estes equipamentos. Uma pequena saleta não pode ter uma guilhotina automática… pois não cabe e não é possível subir de escadas. Avalie bem este quesito antes de comprar o seu equipamento.

Conclusão

Qualquer que seja o tamanho da sua gráfica ou bureau, deve-se pensar na comprar de uma boa guilhotina como uma prioridade.

Ela vai influenciar diretamente no serviço oferecido e não se tem como medir os benefícios em produtividade, já que ela não tem custos associados ao produto final.

Ou seja, é como uma cadeira. Sem ela você não trabalha, mas não tem como cobrar a mais por ter uma cadeira para sentar e desenvolver os serviços.

Espero que tenham gostado desta postagem.

Na verdade deveria ter sido uma das primeiras neste blog, devido a sua importância.

Até a próxima postagem.

Abraços a todos.

42 COMMENTS

    • Pamel,
      Você não precisa de uma guilhotina e sim de um ploter de recorte.
      Me parece que você deseja fazer meio corte e para isso o plotter de recorte é mais indicado.
      Caso a tiragem seja muito grande tem as maquinas de corte e vinco grandonas, mas dai precisará de um bom operador e maior investimento.
      Caso deseje corte reto, qualquer guilhotina de boca servirá para você. Tem desde opções pequenas com corte de 1,5 cm de altura e 30 cm de boca por uns R$ 1 mil até maquinas maiores de centenas de reais… todas servirão, só precisa ver o tamanho da folha a ser cortada.
      Vai ter o trabalho de limpar regularmente a faca, pois adesivo suja a faca com a goma, mas isso é bem fácil de fazer usando algodão e alcool e muito cuidado para não ferir os dedos.
      Espero ter ajudado.
      Abraços,

  1. Paulo, parabéns pelo excelente post. Com certeza, tirou muitas das minhas dúvidas.
    Trabalho com encadernação artesanal e quero investir em uma guilhotina semi industrial pequena e para uso doméstico, para refilar meus cadernos e outros. Você poderia indicar alguma marca que pudesse me atender. Meus cadernos variam de 96 a 200 folhas. Obrigado.

    • Claudio,
      Não tenho preferencia por uma ou outra marca.
      Procure uma guilhotina bem forte, pois no seu caso o papel vai ser bem pesado e tende a desgastar bem a faca.
      No seu caso eu ate preferiria usar uma guilhotina com 50 a 80 cm de boca, mesmo manual, pois vai trabalhar com mais folga, exigindo menos esforço no corte.
      Como as guilhotinas são quase que fabricadas a mão, tem que testar e ver uma que seja bem firme.
      Abraços,

  2. Olá, faço artesanato com caixa de papelão, gostaria de saber se guilhotina ou refiladora serve para cortar papelão ondulado. Se sim qual o melhor modelo?

    • pegue uma guilhotina do tipo facão para cortar folha unica.
      A refiladora vai amassar um pouco o papel nas bordas.
      Mantenha ela bem afiada.
      Para cortar varias folhas juntas pode usar uma guilhotina de boca larga… mas cuidado com a pressão da prensa para não amassar o papelão.
      Eu cortava sem problema na minha.
      Abraços,

  3. Boa tarde… Trabalho operando guilhotina e dobradeira… Vc poderia especificar pra que servem a otimização do calcanhar de corte e o que de fato esse comando difere no corte… Corto em torno de 2 mil folhas por corte em formato 2 F2 … Medidas 89,0×117,0 cm …. Sei que o tempo de descida da faca otimiza o corte no caso de volumes maiores de papel, fazendo com que o corte não corra… Mas a otimização dá altura dá prensa ainda não decifrei no que difere… Trabalho com uma polar115x…

    • Jeferson,
      Essa sua pergunta é muito específica para mim… sou generalista.
      Acho que o ideal era entrar em contato com a polar ou representante deles aqui no Brasil e tentar falar com um bom técnico.
      Eu conheci um impressor excelente que fazia isso com todos os equipamentos que trabalhava e conseguia resultados excelentes… é o tipo da dúvida que o cara vai ter prazer em te esclarecer, pois vai valorizar os conhecimentos dele.
      Entra em contato e depois me fala.
      Abraços,

      • Boa tarde… OK … Obrigado pela atenção… Vou entrar em contato e caso consiga esse esclarecimento, retorno e compartilho a informação.

  4. Paulo, bom dia! Qual seria o melhor equipamento para eu cortar papel para fazer origami? Preciso de pequenos quadrados ( 5 por 5 — 7,5 por 7,5 – 8 por 8 etc) e é muito importante que tenham um corte com medidas exatas.
    Obrigada

    • Josete,
      Não compre equipamento nenhum.
      Vá numa grafica próxima a voc~e que tenha guilhotina e compre papel cortado deles.
      Algumas até cortam o papel que você levar.
      O custo de um serviço de corte desses gira em R$ 10-R$ 20 mais o preço do papel. Por serem peças pequenas talvez ele cobre um pouco mais, mas não tanto.
      Uma guilhotina pequinininha que corte 1,5 cm de altura sai por uns R$ 1 mil e tem o esquadro muito ruim, ainda mais na mão de quem não sabe operar. Essas graficas tem equipamentos que custam mais de R$ 10 mil e cortam mais de 5 cm de altura… vão fazer o serviço muito rápido.
      quer achar uma grafica? digite no google grafica “nome da sua cidade” e entra no mapa. Ele vai marcar todas as gráficas da sua região que se registraram no google negócios (e não são poucas)… daí é só anotar os endereços e telefones e fazer contato para achar alguém que veja nisso uma oportunidade de negócio futuro (afinal você vira cliente).
      Se tiver dificuldade entra em contato de novo que eu arrumo quem corte e te envie por correio.
      Abraços,

    • A impressão laser tem esse tipo de problema, principalmente as laser mais baratas que não aderem direito o tonner.
      Coisas que podem ser tentadas: Aquecer a impressão numa estufa de lampadas. Intercalar com folhas brancas mais finas. Usar guilhotinas profissionais (a refiladeira tende a soltar mais do que uma guilhotina de boca alta). Atenção na arte em especial nos chapados… o limite de fixação de toner é de uns 240 pontos… o preto RGB por exemplo passa dos 300 pontos… para entender esses pontos é só converter a cor para CMYK e somar o valor de cada canal de cor… por exemplo o preto RGB R0G0B0 vai dar o CMYK – C75M68Y65K90 ou superior e se somar 75+687+65+90 = 298 que vai ficar sem fixar no papel (decalcar ou soltar)… as cores escuras em geral terão esse problema… isso ressalta o problema do esbranquiçar na hora do corte.
      Tenta essas opções aí… não sei como é o seu sistema, mas em geral os problemas principais são esses (falta de calor do fusor, excesso de tinta/tonner, rebarbas do papel grosso superior e desgaste mecanico da lamina de corte).
      Abraços,

  5. Bom dia, estou por abrir uma gráfica, porém sem muito capital para montar uma grande.
    Sou designer gráfico e trabalho com gráficas online, mas a minha questão aqui é saber ao certo quais equipamentos seriam necessarios para começar uma pequena copiadora ou um bareau, afinal meus serviços mais pesados são terceirizados. Obrigado e excelente artigo!

  6. Oi Amigo.
    Eu trabalho como calígrafa e faço convites artesanais.
    Procuro uma guilhotina para cortar , não apenas folhas gráficas planas, como materiais já impressos também, a exemplo daqueles pequenos convites individuais de recepção… então precisa ser um corte preciso.
    Não pode ser algo enorme pois meu atelier é em casa…
    Eu gostaria de uma indicação sua, bem específica (que me indicasse marca e modelo), pois em minha cidade não encontro estes equipamentos e terei que comprar pela internet.
    Obrigada

  7. Oi Paulo, Sou Designer e o seu blog está me auxiliando bastante por que estou começando um negócio de papelaria de eventos e tenho pouca familiaridade com acabamento. Eu comprei uma guilhotina da Fiskars por que tinha visto reviews de que era muito boa, mas o papel sempre fica com rebarbas o que me deixou decepcionada por que acho que uma com um custo menor serviria mais ao meu propósito, Mas agora investi dinheiro nessa e estou insegura em investir em outra por que não tenho conhecimento nesse setor. Me recomendaria alguma refiladora/ guilhotina de custo acessível para trabalhar com pequena escala e que tenha um corte preciso? Att

    • Nataly,
      Essa rebarba pode ser faca sem fio ou falta de ajuste na faca. SE a rebarba for em todos os papeis o problema é a faca… se for somente nas ultimas folhas é sinal que a faca não está encostando por igual na regua (plastico que fica na parte de baixo)… a regua gasta também faz isso… a regua deve ser trocada ou virada de tempos em tempos.
      Antes de partir para outra guilhotina, verifica como são feitos esses ajustes, manda afiar a faca e vê se não melhora.
      Abraços,

  8. Boa noite Paulo sou apaixonada por cartonagem, preciso de uma guilhotina que corte o papelao holler de 2.8 mm que seja de boa qualidade, pois nao posso botar muita forca tenho 12 pinos no meu braco esquerdo.
    Obrigada
    Lurdinha

    ludy1806@gmail.com

    • Lurdinha,

      Só gastando algum dinheiro.
      Você precisa de uma guilhotina semi automástica.
      As guilhotinas que cortam apenas 1 folha tipo tesoura não vão cortar esse papel direito.
      As guilhotinas semi-industriais que cortam alguns cm de altura servem, mas tem a alavanca que precisa de força, principalmente no caso desse papel. Uma guilhotina dessas com alavanca e uns 70 cm fica na faixa dos 3 mil.
      Nas guilhotinas semi automáticas, a prensa é movida a mão, mas a lamina desce com uso de motor. Uma máquina dessa custa a partir de uns 10 mil com a largura de 70 cm (tamanho necessário para cortar a folha na largura).
      Segue um link de uma maquina dessas no mercado livre: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-715434229-guilhotina-rapid-semi-automatica-70-odmaquinasgraficas-_JM
      Essa foi uma das mais em conta que eu achei e é de um modelo bem comum nas pequenas gráficas. É usado, mas esses equipamentos são muito resistentes. Pesa mais de 400 kg e precisa de um bom espaço.
      Ordena por preço no mercado livre (mais alto) e vem abaixando os valores até a sua faixa de custo… vai ser mais fácil de encontrar assim.
      Se quiser mais ajuda pode voltar a me procurar.
      Abraços,

  9. Olá Paulo, estou querendo trabalhar com folhas de papel vegetal com tamanhos específicos para venda.Qual maquina poderia ser utilizada no meu caso, que não fosse cara uma vez que estou começando um negócio mas que o corte fosse com precisão para que todos ficassem sem rebarbas por igual.Obrigado espero ter sido clara.

    • Angela,
      As folhas de vegetal são compradas no tamanho 66×96 cm em resmas.
      Para cortar essas folhas é necessário ter uma guilhotina gráfica… uma daquelas que cortam uma grande quantidade de folhas ao mesmo tempo.
      As maquinas menores com 30 cm de boca e uns 2 cm de altura de corte não servirão pois são muito pequenas, mas existem algumas máquinas manuais com uns 70 cm de boca que já servem para essa função. Vai te custar uns 3 a 5 mil e é o mínimo que você gastará. Caso tenha uns 10 mil já pode pegar uma elétrica que vai fazer um trabalho melhor.
      Eu usei muito tempo uma máquina manual e resolvia bastante… basta manter ela ajustadinha.
      Abraços,

  10. Oi Paulo! Obrigado pelo ótimo texto. Você poderia indicar marcas/modelos de boa qualidade para cortar papéis fotográficos até no tamanho A2? Obrigado. Marcelo

  11. Olá. Muito claras as suas respostas. Por gentileza, vou precisar cortar folhas de papelão paraná e gostaria de saber se estas guilhotinas simples de mesa atendem este propósito.Eu gostaria de uma guilhotina barata, mas que fizesse esse serviço que preciso.Muito obrigada, desde já

    • Cortam sim. Só atenção no tamanho da boca que vai precisar.
      Eu tinha uma de 70 cm manual que cortava esse papel na folha grande (66×96 cm). O corte é fácil.
      As menores exigirão um pouco mais de força, mas nada que impeça o trabalho.
      Abraços,

  12. Bom dia, Paulo.
    Estou entrando no ramo de sandálias tipo havaianas e a máquina de cortar o solado que me interessou opera com tiras de emborrachado de 13 cm. com 15 mm de espessura. As placas são de 1,00 m X 1,50 m. e Em função da quantidade, fica inviável o corte com estilete. Qual seria a guilhotina que poderia ser usada para este tipo de corte? Vi no site uma grande manual. Pode ser deste tipo?

    Grato

    Eugenio Paiva

  13. Olá Paulo, boa tarde!!

    Estou procurando algo para cortar tiras de chapa de papelão duplo no tamanho aproximado de 6cmx50cm. Tentei cortar com estilete mais saiu torto e encheu meus dedos de calos… que equipamento você me indicaria para isso?? Será que uma guilhotina iria me atender?? e qual você indicaria??

    Muito obrigada!!
    Um abraço,
    Rose

    • Uma guilhotina manual de 50 cm te atende para isso.
      Tem também guilhotinas de facão que cortam 1 a 1 as folhas.
      Se for pouca coisa, procura uma gráfica que ela faz isso baratinho para você e sai bem mais barato do que comprar o equipamento.
      Abraços,

    • Gabriel,

      Eu não entendi direito o seu trabalho pelas fotos. Seriam cortes retos de uma única folha?
      Se for isso, em qualquer boa papelaria você encontra guilhotinas de facão e refiladoras para 1 folha (máximo 5 sem precisão).
      Existem vários dispositivos para regular a posição e podem ser adaptados outros.
      A refiladora, caso não conheça, faz o corte com uma rodinha afiada e permite um bom controle do corte. Eu usava uma dessas para cortar cartões em baixa tiragem.
      Um truque que eu usava era trocar/ampliar a guia da rodinha por um acetato grosso, fixado com fitas durex bem resistentes nas bordas. Eu usava a própria roda de corte da refiladeira para cortar o acetato. Isso me permitia colocar a folha exatamente nas minhas marcas de corte, pois é transparente e por ter sido cortado com a própria faca mostrava o “caminho do corte”.
      Não existe marca melhor… experimente na loja e veja a robustez. Quanto mais firme o equipamento, mais ele deve durar.
      Abraços,

  14. Boa tarde,
    Gostaria de saber que maquina de cortar cartão de visita eu poderia comprar.
    não tenho conhecimento e estou quebrando muita a cabeça para comprar uma.

    • Jacilene,
      Não existe muito essa coisa de máquina de cortar cartões. O que existe no mercado é uma serrilhadeira, adaptada com facas circulares,já ajustadas com 5 cm e 9 cm de modo a cortar uma folha A4, impressa exatamente no padrão, de modo a obter cartões tamanho 9×5 cm. Ela não é um a maravilha. O corte pode apresentar falhas e se as cores variarem no encontro do cartão, pode haver uma listra na área do corte proveniente do outro cartão.
      Os cartões que compramos nos grandes distribuidores são cortados em guilhotinas. Quanto melhor a guilhotina e o preparo dos operadores, melhor o resultado.
      Para o corte sair perfeito, o cartão tem uma área de segurança de cerca de 1 mm. Assim um cartão 9×5 entra na produção com 9,2×5,2 mm e perde 1 mm de cada lado.
      Em pequena tiragem até um estilete e uma régua resolvem… só tem que treinar para não sair torto (use um vidro por baixo do papel para melhorar o corte).
      As guilhotinas pequenas e refiladoras, tal qual o estilete, só cortam uma folha por vez.
      As guilhotinas maiores podem cortar de 1 cm a 10 cm de espessura de folhas numa operação única, aumentando a produtividade.
      Peguei esses vídeos na internet para você:
      http://www.youtube.com/watch?v=Eu85dQztaVU
      http://www.youtube.com/watch?v=StBgo7dydm4
      http://www.youtube.com/watch?v=BvZnEsax8xs
      http://www.youtube.com/watch?v=BvZnEsax8xs

      Observando eles você vai entender toda a gama de produtos que existem com essa finalidade. Não considere como indicações… peguei os links ao acaso para visualizar o funcionamento dos equipamentos. A máquina 5 em 1 tem com as partes em separado. Não achei nada mostrando o corte do cartão com estilete para te mostrar, mas é bem intuitivo.
      Espero ter ajudado.
      Abraços,

      • boa noite paulo,eu trabalho como operador de guilhotina, porem, so trabalho com papel e branco,vc poder me dar umas dicas d como cortar papel impresso .agradeço muito ,

      • Amauri,
        Cortar papel branco ou impresso é basicamente a mesma coisa.
        O segredo é deixar secar bem a impressão para não decalcar… mas isso acontece já na impressora offset.
        E deve-se prestar bastante atenção na área de corte correta para não degolar os serviços.
        Mas isso tudo são detalhes que não se aprende nessas linhas de comentário… requer prática.
        Abraços,

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here