Lançado Corel Draw X7! O futuro ainda não chegou!

16
20441

Quem acompanha as minhas postagens já deve ter lido minha postagem Corel  Draw X6. Verdadeira revolução? onde eu lançava um futuro para a plataforma móvel. Houve críticas e elogios aos montes, pois esta é a nossa postagem mais lida até o momento. Mas com achegada do Corel Draw X7, algo mudou?

Mais do mesmo!

Se você quer saber detalhes sobre este lançamento, não vou passar. Acho que as mudanças já estão excelentemente expostas no site do nosso parceiro Liute Cristian na postagem Lançamento do novo CORELDRAW X7 – conheça os novos recursos e ferramentas.

Mas o que tem de novo? Na minha opinião, quase nada, como costuma acontecer… acertam alguns defeitos aqui e ali, aceleram uma ferramenta daqui e dali.

  • Conheça o nossos Cursos Online e aprenda a criar seus próprios projetos gráficos. Domine o Photoshop, Illustrator e InDesign como um designer gráfico profissional.

Tem até uma que me agradou… eles consertaram a mancada que fizeram com a inclusão de fontes no arquivo… para quem não se lembra tinha como marcar essa opção nas versões antigas do Corel e foi arrancada nas versões mais novas. Agora ela voltou com algumas restrições… não se pode mandar o arquivo com fontes não originais… Só para saber… você compra as suas fontes? Acho que vai continuar a ter problema… melhor voltar para o Corel 9 onde corria tudo as mil maravilhas.

Em resumo… poucos mudanças, a maioria na parte das caixas de cores, que parece ter tido uma grande melhoria.

Mas o foco aqui do blog não é passar lições de design e sim da administração da sua gráfica! Vamos aos fatos!

coreldraw X7

Má noticia! Vai ter que comprar!

A grande má notícia é que apesar de não ter mudado quase nada nessa versão, você vai ter que comprar ela.

Mas porque?

Bem, mesmo que você não compre a versão, o sobrinho do seu cliente vai instalar a versão de demonstração e vai fazer uma arte nela… e pior, vai te enviar.

Como é mantida a máxima de que a as versões mais antigas não abrem arquivos da mais nova (por pura sacanagem!), você não vai abrir o arquivo do sobrinho.

Enquanto a concorrência não adotar o Corel Draw X7 você pode obrigar o sobrinho a mandar como uma versão mais atiga… mas sabemos que sobrinhos não são mestres em achar o botão que marca essa opção e como você não tem ela na máquina, não vai saber explicar direito.

Por um tempo a desculpa vai colar, mas daí um concorrente adota a versão, depois outro, e se você não entrar na onda vai perder cliente.

Portanto!  Prepare o bolso!

O tamanho da facada!

Se você ainda está na Ilegalidade e tiver que comprar a versão full, vai gastar exatos R$ 1.499,00. Uma baba! Não vou dizer que não vale, pois sou fã do programa… não gosto nem um pouco dos da concorrência. Mas o valor pode estimular alguns a trabalharem com programas alternativos obtidos quase de graça.

Se você já comprou uma versão full anteriormente pode optar pela versão de upgrade pela modesta quantia de R$ 649,00. É menos, mas ainda é bastante para pequenos designers que vendem cartões pela net a preços aviltantes (quase todos nós).

Mas é bom lembrar que esses preços devem ser diluídos ao longo do tempo… mas que tempo!

Se você for na minha postagem do Corel X6 citada anteriormente, vai perceber que o X6 foi lançado em março de 2012… portanto a exatos 2 anos atrás.

Com isso o valor exato de uma atualização é o valor do upgrade dividido por 24 meses… Isto vai nos dar R$ 27 por mês… Eu acho muito barato por um programa tão útil para nós. Cobrando preços aviltantes de R$ 5 por arte, você precisará de 6 artes mensais para cobrir esse valor… eu acho razoável.

Então você fica com  os seguintes valores: R$ 850 para virar designer e R$ 649 adiantados par poder trabalhar legalmente por 2 anos (total R$ 1499)… Esse é o nosso custo para virar designer!

Sei que você pode estar desempregado, sem grana e coisa e tal. Daí as versões de aluguel que permitem entrar aos poucos na legalidade. O aluguel ou melhor, assinatura vai sair a R$ 69 mensais ou R$ 560 anuais. Um pouco mais do que os R$ 27 de quem já comprou a versão full e está só atualizando, mas vai permitir que você trabalhe legalmente.

E o sobrinho? Vai instalar a de demonstração e depois pegar o crack na internet. E ainda vai te culpar de ter passado vírus para ele nos emails de resposta e nem vai se tocar do vírus que vem padrão no crack… então… sobrinho… após instalar o seu querido Corel Draw X7 “alternativo”, por favor passe um bom antivírus no seu computador para não ficar transmitindo virulências por aí! Maso antivírus tem que ser bom senão não pega o bichinho!

E o futuro chegou?

Infelizmente, o futuro ainda está muito longe!

Pior para a Corel Draw, que está abrindo um espaço para alguém com visão de futuro que crie uma versão de um programa que trabalhe em máquinas virtuais poderosas a partir do seu dispositivo móvel.

Duvida? Já tem alguns programas desses rodando similares ao Photoshop, usando servidores pesados para fazer o processamento.

Na área de cinema isto já é comum! Os programas são usados a partir de terminais “burros” que apenas mostram o que está sendo processado nas outras máquinas, que podem ser um supercomputador ou máquinas menores partilhadas, formando uma grande estrutura de rede.

A tecnologia já existe, a internet está cada vez mais rápida e o tempo está correndo!

Se um concorrente cria a plataforma e faz algo decente, com cerca de 50% dos recursos, os mais usados, já pode roubar parte da clientela da Corel e tomar a dianteira no desenvolvimento da plataforma… aí babau Corel!

Mas por enquanto é só uma idéia!

O que mudou nesses dois anos!

Mas vamos analisar o artigo de 2 anos atrás até hoje!

Depois que escrevi o artigo a 2 anos atrás e caí na liderança das pesquisas em todos os termos de corel Draw X6 por quase 1 ano, coincidentemente, a Corel lançou a versão de assinatura. Pode ter sito o meu artigo ou o próprio mercado que vinha pedindo isto! Basta observar o mercado a fundo.

Isto veio incentivar o uso do programa legal, se bem que não tenho números para comprovar, pois a cultura da pirataria é muito forte no nosso país!

Muitos se sentem violados por ter que pagar por um software… e são os mesmos que não perdem nenhum lançamento de hardware ao preço que for.

Ou seja, o pirata tem Mac, I-phone, notebook com placa gráfica avançada, mas não paga pelo software que sustenta tudo isto!  Será você um pirata?

É bom lembrar de uma coisa! No mercado de software as empresas quebram sem aviso. Já vi o Ventura quebrar, mesmo sendo o único programa gráfico do mercado, na época em que só tinha DOS…. Comprava-se mouse para usar o ventura numa época que ninguém sabia o que era mouse… ele tinha um “Windows” embutido no programa. Vi o Pagemaker quebrar, por que não conseguiram abaixar o valor do programa… a pirataria matou ele! Tem mais exemplos por aí… o tutorial que vinha no Page maker para ensinar o programa era um verdadeiro espetáculo… aprendi muito com ele sobre o uso de todos os programas gráficos.

Então? Será que teremos um Corel Draw X8 daqui a 2 anos? Depende de você e da pirataria! A Corel não pode fazer nada, pois tem programador o suficiente para quebrar as travas que eles colocam nos programas… sempre vai ter alguém que vai conseguir.

Mas a mudança de mentalidade, essa sim, pode depender do seu passo!

corelX7_02

E eu, vou adotar?

Confesso que me dói bastante adotar um programa que nada mudou para meu dia a dia.

Para que eu faço, que é pegar foto da NET, aplicar poucos efeitos, colocar a marca do cliente e lança um pouco de texto e botar para rodar, o novo Corel não vai me ajudar em nada!

De quebra pode até exigir um computador mais possante para rodar ele, o que não está nos meus planos.

Mas, fazer o quê? Tem o sobrinho mandando arquivos em X7. Vou ter que bancar o antipático por um certo tempo e depois vou ter que pegar um upgrade, mesmo a contragosto!

E para quê? Para fazer a mesma coisa que fazia com o Corel 5.0 de maneira mais rápida. Pelo menos nessa época eu fazia umas 20 artes por dia fácil, e hoje parece que o programa não anda! Pode ser o Windows ou o Corel, ou a máquina que se tornou obsoleta, mas o resultado é o mesmo que eu tinha no Corel  5, só que com apenas umas 10 artes por dia. Alguns aqui vão falar que eu estou velho e lento!

Conclusão!

O Corel Draw X7 chegou!

As novidades são poucas para quem faz produção e são razoáveis para que trabalha com design mais aprimorado e caro.

Mas fica aquele gostinho de quero mais, que ainda não aconteceu.

A boa notícia é que mantiveram as melhorias nos preços e até deu uma abaixada no valor da assinatura, o que mostra uma preocupação com o bolso do usuário.

O grande vilão continua sendo a pirataria, no qual, quase todos somos culpados neste ou em outros programas.

Se for um sucesso de vendas teremos garantida nossa ferramenta de trabalho por mais 2 anos. Se fracassar pode ser que tenhamos que aprender a usar outra ferramenta, não tão versátil como ele e com certeza vai dar uma bagunçada no mercado, sem uma versão padrão para seguir… já pensou ter que manter 5 ou 6 programas na máquina dando saída tudo em JPG para conseguir manter o fluxo de trabalho? Pode acontecer!

Eu desejo sucesso a Corel, apesar de não ter sido muito beneficiado por esta versão! Pelo menos as fontes devem vir com o arquivo… esse era meu grande pesadelo… Os novatos não sabem converter fontes em curvas e só pegam fonte esdrúxula da web.

Espero que tenham gostado da postagem!

Um grande abraço a todos e não percam a chance de comentarem o que acharam do programa aqui nos comentários.

16 COMMENTS

  1. Paulo, estou pensando em comprar na Amazon.com o Coreldraw. Sai bem mais em conta mesmo pagando 60% do imposto de importação. Mas o interessante é que existe as versões X7 Academic por $ 61.00 e achei também a versão X7 Home and Student Suite por $ 99.99, além de envio gratis de acordo com o valor da compra. O que vc acha? Esses programas estão completos ou o que falta por ser considerado irrelevante para o meu caso – micro gráfica rápida? É possível intala-los em em português? Abraço.

    • Kleber,
      Na prática é tudo igual… separam apenas o público alvo.
      A Brasoft está com uma promoção no Corel X6 estes dias com valor parecido com esse.
      Eu não sei se a versão comprada lá fora vai permitir a troca de idioma.
      A diferença entre os programas em geral são nas figuras e fontes que vem junto do programa… nada importante.
      Abraços,

  2. O pessoal das gráficas que ainda fecham arquivos em corel é pq não dominam o uso do pdf no Abode Acrobat. Eu trabalho com uma gráfica aqui em Porto Velho-RO, e só mando arquivos para eles em PDF, nossos trabalhos tem dado ótimos resultados sem problemas de alteração de cores ou distorções. Mas uma coisa é certa,Fazendo uma analogia sair do corel para o adobe é que nem o MITO DA CAVERNA de Platão. MUDAR não é fácil, eu relutei uns 2 anos para mudar, até que tive coragem e fui, no início confesso que foi Ff%@$, arrancava os poucos cabelos que me restam, quebrei uns 3 telcados uns 10 mouses….kkkkkk! Poque na verdade o que eu queira era que o adobe fosse igual ao corel, mas depois percebi que não tem como, são arquiteturas diferentes criados de maneira diferente, ainda estou descobrindo muita coisa dos progs da adobe, mas definitivamente pra mim não tem volta, ou melhor a volta para o corel é como voltar à caverna. Fica a dica!

    • Alexandre,

      Para rodar 1 serviço apenas não tem problema nenhum usar o pdf.
      Mas o negócio é que as chapas em lotes são fechadas no Corel.
      Os programas para fechar lotes em pdf são raros e caros.
      Quando eu falo fechae em lote é pegar uma matriz com 60 cartões e colocar nessa matriz tanto cartões 9×5 quanto cartões duplo, postais, folhinhas até encher a folha e colocar para rodar.
      Dá para fazer com PDF… mas com qual programa… e como fica quando um PDF é fechado com 300 dpi outro fechado para web… onde vem o aviso? Até imagens em RGB vão no pdf… ele padroniza layout, mas não processo gráfico… ele é amplo demais. Dá caca na imagesseter ou na platesetter.
      Entende?

  3. Paulo gostei muito do seu post, mas cara vou te dar um conselho de amigo designer: muda para a ADOBE. Faz 1 ano e meio que mudei e as diferenças são gritantes, com relação a travamentos, facilidade das ferramentas, entre outros. Cara vc demora um pouco há acustumar com o ambiente desenvolvido pela adobe, tanto para o Illustrator quanto para o InDesigner, mas depois é só alegria. Usei Corel por 15 anos, estava relutante em não mudar, mas chegou ao ponto que não tinha mais como suportar essa BAGAÇEIRA!!! KKKK abraço a todos.

    • Alexandre,
      Lendo seu comentário me lembrei doi tempo que eu tinha um computador Amiga. Na época enquanto todos em volta trabalhavam com tela de texto eu tinha interface gráfica, colocava o micro imprimindo kilometros de folhas gráficas numa matricial colorida (que ninguém tinha também), na retaguarda ficava renderizando vídeos e vinhetas, enquanto fazia trabalhos de digitação e criação de monografias com processador de textos e planilhas e editores de imagem… tudo aberto, rodando sem parar e sem travar em nenhum momento.
      O mercado forçou a venda dos PC, Xt, AT, e similares. Vi surgir o windows, 3.0, … até hoje no windows 8… e sabe de uma coisa… ainda não chegaram ao pé do Amiga que tive que vender por não conseguir peças para ele, pois ninguem conhecia ele.
      Com a Adobe é a mesma coisa. Ela peca com a questão da interface. Muitos dizem que eles são melhores e coisa e tal. Mas grande parte dos p´roblema que encontro para ajustar artes é por virem dos programas da Adobe. E para piorar todas as gráficas de revenda (como AtualCard, Padrão, Futura, etc.) trabalham encima do Corel.
      Eu gosto do Corel, estou acostumado com ele. Mas sei que trava abeça. Mas mudar significa ter problemas diariamente com os meus clientes e fornecedores.
      Se fossem realmente bons abririam todos os arquivos do corel sem nenhum problema e tomariam o mercado… afinal quem usaria um programa que não abre os demais, tendo um que aende com tudo?
      Mas não é essa a realidade… corel e adobe não se comunicam… e nessa guerra o corel tem uma ligeira vantagem por abrir mais arquivos da adobe do que o inverso.
      O mercado Brasileiro gráfico é da Corel… Para a Adobe entrar ela tem que abrir tudo.
      O PDF veio aí para acabar com isso, mas não tiveram a competencia de simplificar o processo… todo dia me mandam arquivos PDF com problemas.
      Aí eu pergunto? Você abre arquivos do Corel sem problema? Você gera arquivos para o Corel sem problema? Você faz isso quantas vezes por dia?
      Abraços,

  4. Instalei a pouco tempo e confirmo o que o Carlos escreveu aqui. Abri um arquivo de uma águia em silhueta de 24kb e só fiz salvar para coreldrawx7 e ele ficou com 414kb. Mas vamos brincando aqui p/ ver o que acontece. Comecei a brincar com o illustrator CS7 e notei que ele é o que dizem, bem superior ao Coreldraw. Se o pessoal da corel não fizer nada não garanto muito a permanência no mercado brasileiro. Para quem não sabe, o mundo inteiro usa mais o illustrator.

  5. Oi Paulo
    Trabalho em gráfica também e já estou tendo dor de cabeça com o novo corel x7, um problema que verifiquei aqui é que os arquivos salvos na nova versão são enormes, uma de nossas clientes que faz um guia mensal de anúncios que na versão x6 do corel está com 185mb, na versão x7 este mesmo arquivo com poucas alterações passou a ter 1,6gb, (ela me disse que só alterou textos), fiz um teste aqui com outro arquivo do mês anterior (abri o arquivo e salvei apenas com outro nome com a versão x7 e deu o mesmo problema (o arquivo fica gigante, parece que a função de compactar o arquivo, apesar de estar habilitada não está funcionando); queria saber de você Paulo se já notou esse problema ou é um problema no micro que trabalho? obs.: instalei uma versão de teste do site da corel, agora estou na dúvida se peço pro meu patrão comprar.

    • Carlos,
      Não estou usando o X7 mas desconfio do problema.
      O X7 ressuscitou um mecanismo que leva as fontes junto do arquivo. Desconfio que também está levando o histórico das mudanças feitas. Com isso ao anexar isso tudo ele estufa o arquivo.
      Pegar todas as fotos e converter em bitmap para a resolução de saída (300 dpi normalmente) e converter textos em curvas deve ajudar. Copiar e colar todo os elementos para um arquivo novo, zerado, também deve ajudar.
      Mas é um chute… eu já tive problema parecido nas versões antigas e isto reduzia muito o tamanho do arquivo.
      Depois comenta aqui o resultado.
      Abraços,

  6. Cara… Dizer que comprando o programa se vira Designer, é lamentável! Faço faculdade de Designer e já estou no terceiro período e sei bem que não se vira designer por adquirir um produto. Existem conceitos, muita teoria, brending, briefing, além de saber sobre fotografia, tipografia, saber usar o Corel, Illustrator, Photoshop, InDesign e tantas outras coisas que antes, quando só usava o Corel (a mais de 10 anos) eu não sabia. Fazer cartão de visitas, panfletos, entre outros, realmente se faz com facilidade no corel, no Illustrator, mas ainda assim, isso é só saber usar a ferramenta. Design é criação com um conceito formado e sem margens de erro e Designer é o profissional que o faz. Dizer que comprando um programa qualquer pessoa se torna um designer, só desvaloriza ainda mais o cidadão que paga todos os meses uma faculdade pra se tornar um profissional de verdade. Sem palavras pros 5 reais cobrados por arte, meus professores preferiram não comentar.

    • Luiz,
      Em momento nenhum foi dito que comprando o programa se vira designer.
      Para virar designer é necessário muito estudo e prática.
      Você deve ter vários professores que não foram formados nas universidades de designer. Basta eles estarem com idade próxima dos 50 anos, pois nessa época não existiam universidades de designer neste país. No máximo tinham alguns cursos de comunicação com enfoque na área.
      A minha formação é pré-Corel… na verdade nem existia Corel… PC era sem windows e o top era o computador Amiga da Comodore. Mas eu aprendi mesmo foi num MSX mexendo pixel a pixel nas imagens e imprimindo 8 telas numa folha A4 para fazer apresentações de engenharia (os plotters também estavam começando a aparecer e eram canetinhas que rodavam sobre o papel).
      Se você pesquisar o mercado vai realmente encontrar “designers” que fazem artes dos R$ 5 aos R$ 100 mil. Achar os de R$ 5 é fácil, basta entrar no mercado livre e a realidade é que ao sair do mercado você vai se esbarrar neles.
      Sinceramente acho que no mercado há espaço para todos. Você não quer que a manicure da esquina, que precisa fazer o cartão dela, pague R$ 3 mil numa arte final para produzir o material dela, ou quer?
      Eu trabalho com produção gráfica desde 87 e já recebi materiais de todo jeito. Desde de “designers” mandando criações em word ou paint até pessoas enviando em InDesign cheio de pantones.
      O que muitos não entendem é que antes de iniciar o design deve-se conversar com a gráfica onde se vai produzir o material e saber algo sobre o fluxo de serviço da mesma. Se a gráfica escolhida junta materiais de vários clientes numa chapa permitindo levar o preço do cartão colorido dos R$ 1500 que custavam a 10 anos atrás para meros R$ 25 que se encontra hoje, não pode fazer criações cheias de pantone. Isso só vai mostrar o despreparo do designer, pois ele mostra não entender nada do processo gráfico.
      Se seu cliente é uma “Coca-Cola” da vida que exige uma tinta especial e praticamente fecha uma gráfica para produção do material dela, aí sim pode-se criar com total liberdade, desde quese use recursos disponíveis na gráfica… por maior que ela seja sempre há algo que ela não faz, como por exemplo colocar cheiro nas páginas.
      Se você andar pelo site vai encontrar gente que adora as universidades (eu sou um dos que indicam a formação formal) e outros que a abominam. E tem profissionais bons em ambas as escolas.
      Sempre que me procuram aqui no Dicas Gráficas do Cardquali eu indico assistir os vídeos sobre operação dos programas gráficos aqui no blog, acompanhar também o blog clubedodesign e a página do facebook, fazer os cursos completos rápidos do cursos 24 horas, entrar para a criativosfera e aprender um pouco de design, ir ao mercado, e depois se especializar e alçar voos maiores fazendo uma universidade de design ou Comunicação Social.
      Não adianta fazer uma universidade de design para trabalhar para uma gráfica pequena em troca de R$ 900 mensais fazendo 10 a 20 artes de cartões de visita comuns… essa é a realidade de 50% dos profissionais. E não dá para pensar em só fazer a universidade e cair direto numa grande agência de propaganda e design… eles querem experiência… e isso se ganha fazendo muitas artes e não fazendo apenas 1 arte por mês cheia de retoques. Na verdade a criação não acontece no papel ou tela do computado… acontece na cabeça… que cria o design… por isso as agências juntam várias cabeças para criar e depois desenvolvem a criação feita dando o requinte necessário.
      Conversa com seus professores mais velhos e sonda como aconteceu a formação deles… se foram ao exterior se formar ou se a formação foi através do trabalho aqui mesmo no país.
      Não aconselho ninguém a fazer design por R$ 5, mas também não aconselho a começar a cobrar os R$ 3 mil logo de cara… as pessoas precisam conhecer o seu trabalho e infelizmente vão aparecer mais pessoas para ver o seu trabalho no mundo dos R$ 5 do que no mundo dos R$ 3 mil… depois as pessoas decidem se você está num mundo ou no outro, e não você!

  7. Oi…. hoje em dia não é mais necessário crackear programas como esse para tê-los em seu PC… Eu, por exemplo, baixei a versão original para teste criando uma conta no site da corel, depois usei um gerador de número de série e simplesmente liberei o programa, ou seja, estou usando o programa original, a unica diferença é que o número de série não foi gerado pela corel, e sim por mim mesmo.

  8. Prezado Paulo, concordo com você em partes. Acho a política da Corel de lançar versões cada vez “mais do mesmo” algo muito preguiçoso. A sorte da empresa reside apenas no fato de que o CorelDraw é imbatível na sua usabilidade e capacidade de customização de interface, mesmo que passando versões e mais versões sem corrigir bugs. E uma legião de usuários que aceitam utilizar um programa que tem um péssimo gerenciamento de memória e recursos de máquina, em troca dos benefícios citados antes. No dia que algum concorrente chegar perto dessa capacidade, e com menos bugs a Corel quebra.

    Outra questão é a da pirataria. Todos sabemos que é crime, todos sabemos que é errado, mas muitos esquecem que a pirataria só existe onde vale a pena oferecer o falso porque ninguém aceita pagar preços irreais pelo verdadeiro. Veja o exemplo das lojas de Aplicativos Apple Store e Google Play: lá você encontra muitos aplicativos úteis e às vezes indispensáveis para usar no smartphone, e por preços muito, muito razoáveis. Pago alegremente por alguns deles, pois acho os preços definitivamente justos pelo serviço que me prestam. No dia em que algum concorrente decidir não seguir o caminho da ganância, e oferecer um produto decente por um preço bem menos que o deles, podemos considerar a Corel enterrada de vez.

    Abraço!

    • Odemilson,
      É bem por aí!
      Se bem que o mercado de usuários de Corel e o de usuários de programas de smartphones seja bem diferente… mas mesmo assim o valor ainda é alto… deveria ser mais ou menos 1/3 ou 1/4 do atual para conseguir fazer volume.
      Abraços,

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here