Quer montar uma gráfica? Dicas para iniciantes!

76
56792

Uma das perguntas mais frequentes aqui no blog é “qual máquina eu devo comprar para fabricar e revender meus próprios cartões?”. É uma pergunta muito frequente entre os iniciantes da área e mostra um certo despreparo dos mesmos em entrar numa área que na maioria das vezes não entendem nada. Nesta postagem vou responder essa pergunta e criar um mapa para aqueles que desejam entrar na área, tendo sucesso, sem destruir o mercado gráfico.

Perfil do iniciante

A maioria das pessoas que me fazem essa pergunta tem um perfil bem típico.

Quase todas elas estão a pouco mais de 2 meses na área, começaram a trabalhar revendendo produtos de gráficas comuns, que cobram um preço relativamente alto e por isso vem a possibilidade de fabricarem seus próprios produtos.

  • Conheça o nossos Cursos Online e aprenda a criar seus próprios projetos gráficos. Domine o Photoshop, Illustrator e InDesign como um designer gráfico profissional.

Se fosse comigo eu também teria essa impressão. Digamos que você pegue um cartão de visita por R$ 60 e esteja conseguindo vender com relativa facilidade por R$ 100. Uma conta rápida vai mostrar que dá para imprimir numa laser e entregar para o seu cliente e ainda dobrar essa lucratividade.

 

Uma impressora laser não está muito cara, podendo ser comprada por menos de R$ 1 mil… fica faltando apenas saber como fazer aquele brilho dos cartões e que papel usar (afinal você não sabe de nada!).

O que o iniciante não percebe é que primeiro: Ele está comprando mal. Ele está adquirindo o produto a preço de cliente final. De um outro profissional que no ímpeto de não deixar entrar um novo “player” no mercado, está na verdade estimulando ele a ser um concorrente e não um aliado.

A segunda coisa é que uma impressora laser barata não vai dar a qualidade encontrada nos produtos offset e os acabamentos, sejam eles por plastificação ou por verniz, não são viáveis na baixa tiragem de uma produção interna.

E por que entrar no mercado?

Desde que reabri minha gráfica, a pouco mais de 1 ano, venho atuando basicamente pelo mercado livre. Nessas vendas percebi uma coisa impressionante. Mesmo não sendo o melhor preço do mercado e tendo um alto custo de frete até o cliente, a minha opção de venda ainda é uma das mais econômicas para grande parte do país.

Se somar o meu lucro mais o frete fica-se fácil com mais que o dobro do valor que adquiro no meu fornecedor. A título de exemplo, um cartão de visita simples que eu compro a R$ 25 chega para meu cliente em São Paulo a R$ 58, ou seja 2,3 x o meu custo. 5000 panfletos que eu compro a R$ 65 chegam ao cliente a R$ 122, uma diferença de 1,9 x.

Como, com a quantidade de concorrentes que tenho em São Paulo, permitem que um vendedor do Rio chegue com preços competitivos no seu quintal?

Mas meu concorrente direto no ML é de São Paulo e mesmo assim consigo vencer ele em diversas concorrências… como isso é possível?

A resposta é BOM ATENDIMENTO!

O mercado está carente de bom atendimento! Está faltando no mercado aquele vendedor que vá ao cliente, converse com ele. Se torne amigo inclusive! Que pratique um preço razoável (nem caro, nem barato… apenas justo!).

A maioria está montando a sua gráfica, pegando os serviços fora e revendendo, mentindo quanto a prazo, não se preocupando com os erros (o cliente assina e já era!) e metendo a mão nos valores dos serviços… afinal, o cliente nunca volta mesmo com um atendimento desses!

O gráfico parceiro está se extinguindo… as pessoas ficam impressionadas quando eu assumo um erro da minha equipe e reimprimo um produto ou quando dou um baita desconto, cobrando preço de custo, quando o erro foi de total desatenção do cliente. A maioria consegue ver apenas CUSTO e LUCRO!

Se o mercado está carente de um bom atendimento. Se o cliente não consegue achar as boas gráficas. Por que não entrar nesse mercado?

bom atendimento

Como entrar no mercado gráfico?

Antes de entrar no mercado gráfico, deve-se estar ciente que serviço gráfico não é uma brincadeira que qualquer um possa fazer.

Respeitar o conhecimento dos demais profissionais é muito importante.

Não basta pegar um produto, colocar uma margem pequena e sair queimando o mercado por aí! Você não precisa ter o preço mais baixo para vender… basta um bom atendimento e preços justos!

O mercado gráfico está estruturado em faixas. No piso estão poucas empresas que são responsáveis por quase toda a produção. Eu poderia arriscar usando a Lei de Pareto que 20% das empresas são responsáveis por cerca de 80% da produção. Quase toda essa produção é direcionada as demais faixas da pirâmide. São empresas com um parque fabril com mais de 10 milhões em equipamentos, com impressoras offset com 5 ou mais torres (várias delas), platerseters, várias guilhotinas de ponta, maquinas de verniz, corte e vinco, laminadoras e muito mais. É um investimento para poucos.

Essas empresas conseguiram quase que padronizar a qualidade dos impressos. Entrando uma boa arte, com cores ajustadas, o impresso quase sempre sai perfeito (a não ser que haja um vacilo do impressor que exagerou na cervejinha ou tenha brigado com a esposa).

A concorrência de preços nessa escala é brutal! E pior, é maximizada pela falta de senso dos gráficos que insistem e considerar essas empresas como concorrentes devido a alguns poucos clientes conseguirem descobrir eles e mandarem serviços para lá. Isso mostra a falta de preparo na área de vendas.

O segundo nível deve ser responsável por uns 15% da produção e talvez tenha uns 40% das empresas. São as gráficas tradicionais e bureaus de serviço. Esse nível teve um grande baque com a entrada das grandes empresas do primeiro nível, a queda nas vendas de seu produto principal (talões) e do crescente aumento de entrantes na área.

O grande erro é que essas empresas do segundo nível conseguiram a proeza de considerar concorrentes tanto as empresas do primeiro nível, quando as do terceiro nível! Elas não conseguiram enxergar as mudanças de mercado. As poucas que visualizaram a vantagem de se focar na produção de arte final e atendimento coorporativo, pegando serviços das grandes empresas e formando equipes próprias e terceirizadas de atendimento, fazendo assim volume, são as que estão se dando melhor no mercado.

Afinal, elas sabem que não podem produzir um cartão por R$ 25 o milheiro. E também sabem que não podem atender de porta em porta os milhares de clientes que precisam de serviços gráficos. Mas tem uma estrutura capaz de produzir essas artes finais, com baixíssima ocorrência de erros, e podem dar suporte aos milhares de vendedores gráficos que batem diariamente a sua porta. Bastaria se posicionarem como tal, que não seriam ameaçados por nenhum deles e ainda comeria uma fatia do bolo na produção de pequena tiragem e tiragem de urgência, feitas em laser de boa qualidade e com suporte de acabamento.

Quer uma prova do mau preparo dessas empresas. Tenho uma infinidade de clientes querendo blocos de talões a custo razoável e meus fornecedores insistem em ter faturamento mínimo para produção. Se um gigante faz um produto de R$ 10 e me entrega, por que um fornecedor bem menor vai exigir um mínimo de R$ 100 ou mais? Com isso eles criam oportunidades para a terceira faixa entrar cada vez mais.

Na terceira faixa temos os vendedores gráficos. Em geral pessoas que saíram de suas empresas por demissão e buscam alternativas de ganhos.

Alguns, como eu, tem um excelente preparo e conhecimento e podem atingir de fato a segunda faixa, mas a grande maioria são pessoas sem preparo que se beneficiariam de conseguir um suporte para suas artes finais e concentração de produção num único local.

Aí que começa o perigo. Sem suporte adequado e com os clientes loucos para conseguir os produtos, o cliente percebe essa desunião e começa o leilão entre o entrante mal preparado e a média gráfica sem visão. É essa briga que provoca a baixa nos preços e não a presença das grandes empresas.

As grandes empresas inclusive criam jeitos dos bons vendedores obterem descontos maiores (dentro do possível). Eu por exemplo já consegui desconto de 5% em duas empresas e estou apenas começando… coisa essa que muita empresa com anos de mercado ainda não conseguiu… por que será?

E qual o caminho para o novo entrante?

O meu conselho para quem está entrando é: Consiga uma boa parceria com um bom arte finalista ou vendedor gráfico (dependendo do seu perfil) e se junte a ele. Pode ser inclusive como sociedade de fato.

Não é possível fazer artes finais e dar um bom atendimento. Atualmente eu e minha esposa dividimos essas funções. Apesar de eu ser um melhor arte finalista que ela, sou bem melhor do que ela em vendas… por isso eu faço o contato com os clientes e cuido de entregas, finanças, anúncios, etc e ela cuida das artes finais. No aperto um ajuda o outro nas suas funções, mas em geral as coisas são divididas.

E quando batem novos entrantes? Nesses casos tornamos eles parceiros, dando preço especial e dando suporte na arte final. É preferível ter eles vendendo para nós sem se preocupar com as artes do que criar um concorrente mal preparado.

Eu inclusive deixo bem claro onde produzo os impressos, quanto pago, as vantagens de produzir comigo (não errar no envio de uma arte é uma delas) e da garantia de reimpressão em caso de erro da gráfica (isso nem o meu fornecedor faz). Vou quebrar? Não é o que os números vem mostrando!

Partir para as vendas! A venda é o que dá sentido a tudo!

Sem cliente a história acaba! Ele é a chave do jogo!

Se você tem o cliente na mão. Tem quem produza as artes. Tem quem produza o impresso. Você tem todas as cartas na mão.

Pense que o grande fabricante da base não consegue atender o cliente. O cliente quando pisa lá, manda o arquivo com uma arte “chifrim” de péssima qualidade e vai obter um resultado sofrível ou com vários erros e com certeza não vai conseguir nem reclamar da empresa. Essa é a sua grande oportunidade de aparecer no mercado!

Caso não encontre um bom sócio que permita te levar ao segundo nível, se associe as poucas empresas do segundo nível que tem visão de mercado (estou nessa… pode usar os contatos, mas é melhor uma perto de você… o espaço está aberto nos comentários para quem que fazer este link!).

ficar amigo do cliente

E como crescer?

Digamos que você já entrou no mercado, já resolveu seu problema de arte final e bom fornecedor e deseja crescer!

O crescimento vem em etapas.

O primeiro deles é atender a baixa tiragem e tiragem de urgência. Pequenos equipamentos podem ser adquiridos para essa finalidade. Uma impressora jato de tinta no começo, com uma guilhotina. Tem uma impressora hp office jet pro x que faz 40 impressos por minuto com baixo custo quando usamos o bulk. A laser que falei da Ricoh, embora mais cara, tem impressão com cara de offset de primeira linha. Um plotter para banners e faixas. São máquinas acessíveis para quem está entrando no mercado, principalmente quando parceladas.

Tem outra ainda mais em conta.

Mas tenha em mente que o principal deve vir das grandes gráficas… os demais equipamentos devem vir para te posicionar bem no segundo nível de atendimento a baixas tiragens e tiragens de urgência (as quais o preço não importa tanto).

E lembre-se, entrando nessa faixa você deve visualizar bem quem é o cliente e quem é o parceiro que busca seu suporte.

Conclusão

Eu não botei links aqui na postagem por falta de tempo, mas todas essas dicas já foram dadas anteriormente e podem ser achadas dentro do google colocando a palavra cardquali e o seu interesse. Abuse das pesquisas. Eu já deixei vários links por aqui pesquisados dessa forma… comece por eles.-

Apesar dos descontentes da segunda faixa, o mercado tem se mostrado mal atendido e por isso com grandes oportunidades.

Mas como qualquer negócio, você precisa se preparar bem.

Minha grande dica é vasculhar aqui no blog as postagens que supram a sua falta de conhecimento e fazer um ou dois cursos do cursos 24 horas (tem o link aqui do lado – o custo é baixo) e os cursos disponibilizados pelo Sebrae (já falei deles… pesquisa no meu blog).

Quem estiver ainda totalmente perdido e quiser começar uma parceria pode entrar em contato.

Aqueles espalhados pelo Brasil, como o colega Leandro do visite meu blog e queira aparecer para os vendedores gráficos, fica a área de comentário para poder colocar sua oferta.

Um grande abraço a todos!

Até a próxima postagem!

76 COMMENTS

  1. Muito boa a sua dica. Adorei!
    Eu gostaria de perguntar a vc se vc
    conhece algum curso de como operar um ploter de recorte.
    Agradeço se puder me ajudar

    • Dilson,
      Não conheço nenhum curso e nem vejo necessidade.
      Quem vai vender o plotter deve passar instruções de uso e em geral essas serão o suficiente.
      O processo é bem simples. tem alguns detalhes de alinhamento da midia ao ser colocada no papel e detalhes da arte, mas são bem basicos.
      Você vai ver que durante a pesquisa da maquina já será capaz de operar ela… é bem simples.
      Abraços,

  2. Boa Tarde… Parabéns pela matéria muito bem explicada, estou tentando ler todas as publicações.
    Gostaria ajuda para começar com uma pequena empresa, estava trabalhando em outro ramo e tive muita dificuldade em encontrar gráficas que fizessem panfletos com rapidez e menores quantidades, não tenho muita experiência, mas fazia sozinha minhas artes, claro que não pode-se comparar com um profissional, mas acredito que posso melhorar bastante…Adoraria algumas dicas se possível,
    att, Michele

    • Michele,
      Aí vão algumas dicas rapidas.
      Primeiro, terceirize tudo que puder… por exemplo eu pago menos de R$ 20 numa arte profissional… mesmo manjando muito de arte eu pago outra pessoa para fazer minhas artes… isso me da tempo para a segunda dica.
      Segunda dica, se foque nas vendas. Arrumar cliente é a coisa mais importante no negócio… se foque nisso.
      Terceiro, acostume seu cliente a esperar 2 ou 3 dias pelo resultado. Ou seja, o cliente que quer o produto para ontem raramente quer pagar o preço justo pelo produto. Em geral se leva de 2 a 3 dias para ter o produto de qualidade em mãos. Se voce se equipar para atender rapido o cliente tenha em mente que a qualidade será menor e que terá que cobrar mais caro do cliente… e sei que a maioria dos clientes não quer pagar mais por um produto pior…. mesmo que seja mais rapido.
      quarta dica, procure imprimir com as grandes empresas do setor… se cadastre em todas e veja qual te atende mais rapido na sua região… como isso depende da estrutura de logistica delas não ha uma regra fixa… tem que testar. aqui no Rio eu uso a Atualcard. Mas tem gente que usa a Futura Imbativel ou a Zap Grafica… é questão de testar a que funciona melhor… todas elas tem balcões de retirada… verifica qual é a melhor para você.
      Tenta aí e depois me fala.
      Abraços,

  3. Boa tarde meu amigo!
    Gostaria de entrar no ramo da gráfica, mas sou leigo no negócio e na parte de Design também. Pretendo primeiramente terceirizar já que sou leigo no negócio, ou seja, comprar em gráfica de grande porte e vender ao cliente um produto de qualidade. Seria esse o melhor caminho?, qual equipamento preciso ter para entrar no ramo da forma como lhe falei?. Com certeza preciso aprender a trabalhar com arte, precisaria do curso ou aprenderia em casa a mexer com os programas corel e etc…, e quais programas devo ter para fazer a arte?

    • Jorge,
      Revender é o melhor negócio realmente.
      Os custos de equipamentos e o volume necessario para ter um produto de qualidade são enormes.
      Com o tempo pode investir em coisas paralelas que não são oferecidas por aí, como sublimação e pequenas tiragens (que apesar de serem oferecidas tem sempre o fator pressa do cliente).
      Indico inclusive terceirizar a parte de arte final.
      Pode até fazer o curso que tenho aqui no blog (gratuito) para não ficar totalmente verde na questão de artes… mas não pense em criar tudo por si só… vale mais a pena terceirizar isso também.
      O padrão de mercado é Corel… tudo é fechado em corel na industria gráfica.
      Mesmo que te digam para fazer em outros programas, saiba que será aberto no Corel e poderá sofrer modificações no processo.
      A maior parte dos meus problemas vem de usuários de outros programas que fecham errado suas artes e dão problema ao abrir no corel.
      Abraços,

  4. Boa noite Paulo, estou retornando ao mercado gráfico agora, antes eu contava apenas com um notebook, uma impressora a laser e trabalhava muito com pequenas tiragens de cartões de visitas, porem achava q meus produtos ainda não estava nos padrões e por esse motivo resolvi parar por um tempo e retornando agora
    Hj conto com uma impressora ricoh aficio mpc 2051 ( aproveito e peço sua opinião sobre esse equipamento ), conto com uma segunda impressora a laser hp 1215, uma quilhotina manual com capacidade para 400 folhas de uma so vez, um maquina de corte e vinco e uma laminadora,
    Gostaria de saber sua opinião sobre esses meus equipamentos e o q daria para ser feito com esses equipamentos alem de cartoes de visitas e etiquetas.
    Obs. Estou tento dificuldade com a criação de artes finais para impressões dos cartoes.

    Desde de já agradeço sua atenção
    Um abraço

    • Ferreira,
      Seus equipamentos dão para atender serviços rapidos. A Ricoh é uma maquina que indico muito aqui nos comentarios.
      Mas se ler o texto todo e as minhas outras postagens vai perceber que para o pequeno grafico vale muito a pena terceirizar os serviços.
      Suas maquinas nunca vão ter o custo e a qualidade obtida por um milheiro de cartão comprado nos grandes distribuiodores.
      O seu custo com esse equipamento para um milheiro acaba saindo quase que o dobro do preço de venda que teria comprando e revendendo.
      Se tiver na cabeça que tem um preço para o produto de revenda levando um tempo para ser entregue e outro preço para os apressadinhos que precisam do serviço na hora e não entrar numa neura de ter que cobrir o preço dos grandes… poderá usar o melhor dos dois mundos e atender muito bem a sua clientela.
      Mas se tentar competir produzindo tudo vai rapidamente perder espaço para os concorrentes.
      Sacou?
      Um grande abraço.

  5. Oi, Parabéns pela matéria muito bem explicada.
    Gostaria de uma ajuda quero entrar no ramo do zero e estou meio perdido !

  6. Preciso de uma ajuda, sou novo no ramo. tenho um cliente onde vou fazer alguns materiais gráficos preciso de ajuda para comprar os equipamentos. irei fazer

    *cartão cliente pvc
    equipamentos: epson L1800, guilhotinha, e laminador a frio e quente
    serão entorno de 5mil catões mês

    * Manual do cliente
    equipamentos: quero um impressosa pra imprimir em papel coche 90gr serão em torno de 60mil copias, alem de uma grapeadora e dobradeira

    * adesivo vinil recortado
    serao em torno de 5mil adesivos

    *panfleto
    serao 20mil por mes

    queria ajuda para ver quais são os equipamentos que preciso adquirir , não pode ser algo muito caro
    tenho cerca de 30mil para investimento

    • Bruno,
      já andei te respondendo por email.
      Resumindo para os demais leitores… procure terceirizar ao maximo as impressões. Parte das coisas que deseja produzir valem mais a pena serem terceirizadas do que adquirir um equipamento para produzir.
      No caso do manual, devido a alta tiragem que tem de impressões diferentes pode valer a pena a aquisição de uma impressora jato de tinta rápida ou uma laser de produção usada.
      mas no resto, como o cartão pvc e adesivo vinil, que precisaria de um ploter carissimo ou os panfletos, facilmente terceirizados por aí, a terceirização é o mais indicado.
      Abraços,

  7. Paulo, tudo bem?
    Quero neste ano de 2017 entrar nesse ramo, porém não tenho experiência ainda, sou formado em designer gráfico, utilizei muito dos serviços gráficos aqui da minha cidade, porém, como vc citou aqui na sua matéria, o atendimento deixa muito a desejar, mas sei que só simpatia e um aperto de mão quando o cliente chega na loja não vai pagar necessariamente as contas, pois, acredito que precisa de outros conhecimentos. Achei muito interessante a forma como você abordou o assunto e as dicas que deu.
    Sei que buscar uma orientação de quem já está no ramo seria uma boa opção, o que não poderei fazer aqui em minha cidade.
    Você poderia me ajudar?
    desde já agradeço.

    • Edson,
      Você não encontra um bom vendedor… você forma ele.
      Para dar certo você precisa testar várias pessoas dando conhecimento a ele e remunerando bem no inicio.
      Se você simplesmente joga um mostruário na mão dele e paga só por comissão, ele tenta 1 ou 2 dias e acaba desistindo… assim perde-se inclusive bons nomes, mas que ainda não tem conhecimento do seu produto.
      Se ele ganhar um fixo por um tempo vai dar tempo dele formar uma clientela e os clientes se acostumarem com a presença dele.
      Se quiser mais detalhes, entra em contato comigo que bolamos uma estratégia para você seguir.
      Eu tenho um guia para vendedores aqui no blog… busca aí que você encontra.
      Abraços,

  8. Olá parabéns pelo blog. Eu gostaria de terceirizar, mas ainda não encontrei quem produza livros com pequenas tiragens e preço concorrente na faixa de 100 unidades. Nesse caso compensaria investir ou vc tem alguma dica pra mim conseguir essa terceirização.

  9. Adorei o post de fato é um relato consciso de toda realidade do mercado grafico. Gostaria de tirar mais duvidas diretamebte com você, como faço pra ter um canal mais proximo?

  10. Olá paulo quero iniciar nesse ramo de grafica quais os cursos que preciso fazer para ser um bom profissional pois quero começar do zero por isso quero o conhecimento antes de comprar qualquer maquinario quero o conhecimento

    • Ismael,
      O setor é carente de conhecimento… eu sou um dos poucos blogs que tem no mercado gráfico.
      Os cursos para operar equipamentos são concentrados na sua maioria em São paulo.
      O que fazer então?
      Inicialmente aprenda um pouco de design… começa fazendo as aulas gratuitas aqui no blog especialmente as ministradas pelo Liute… pode entrar no blog dele também e catar outros vídeos lá… http://www.clubedodesign.com
      Isso vai te dar noção dos softwares, mas não do designe em si… entra em http://www.criativosfera.com.br e faça os cursos de design deles… é bem barato e vale a pena.
      Depois complemente seus conhecimentos basicos com cursos de corel e photoshop no cursos 24 horas… tem o link na lateral do blog.
      No cursos 24 horas pode fazer também cursos na área administrativa… aqui no blog também tem muita coisa basta entrar no google e digitar cardquali palavra da dúvida e vai encontrar os textos sobre o tema.
      A operação de equipamentos e tecnicas são mais difíceis de aprender. Transfer e sublimação tem cursos do hotmart que atendem… entra nas minhas postagens sobre transfer e sublimação que eu dou as dicas nos comentarios.
      Para operar uma offset, cortar numa guilhotina e demais equipamentos gráficos vai ser difícil encontrar cursos. Pode tentar ver algumas pessoas operando os equipamentos nos videos do youtube… cursos mesmo ou entra numa grafica para aprender ou faz cursos do SENAI, na maioria em são paulo e em poucas capitais.
      Tenta por aí e se tiver duvida pode usar os comentarios ou meu email que eu tento ajudar.
      Abraços,

  11. Ola,
    Tenho vontade de ter a minha própria empresa, e decidir escolher um ramo de negócios e estou decidindo em montar uma gráfica. E devido não ter muito recursos iniciais com certeza optarei por parceria inicial e ate mesmo “pra sempre”.

    De acordo com sua mensagem estou entrando em contato
    “Quem estiver ainda totalmente perdido e quiser começar uma parceria pode entrar em contato.”

    • Carlos,
      Eu posso te passar muitas dicas de como começar.
      O que eu indico inicialmente é entrar no link http://novaprint.atualcard.com.br/ e se cadastrar por lá.
      Depois compra o mostruário deles para poder trabalhar com os clientes e escolhe um balcão bem próximo a você para envio do material.
      Eu tenho uns preços especiais em alguns produtos, mas tem que ser via email… entra em contato que eu passo a tabela especial.
      Existem outras empresas também… a futura imbativel e a zap grafica também tem uma boa ação nacional e podem ter balcões mais interessantes no seu caso… mas caso opte pela atualcard dá preferencia para o nosso site.
      Abraços,

  12. OLá Paulo, eu trabalho com adesivos de brindes para festas, já há um ano e meio aprox., e vários clietne tem me pedido adesivos para embalagens, e flyers. gostaria de uma opniao sua sobre qual seria a mehora impressora para pepuenas tiragens deste tipo de material. Para terabalharcom papel couche, anderi vendo umas laser da hp , e agora vi na sua postagem sobr a impressora rioch, que na verdade não conhecia, e me interessei. você saberia me dizer quanto ficaria de custo uma folha colorida impressa nesta impressora? grata, Luciane, são de São Paulo – interior

    • Luciane,
      Usar uma laser de qualidade junto de uma ploter de recorte é uma excelente opção para explorar esse nicho de trabalho.
      A Ricoh 2051 usada que costumo citar por aqui sai por uns R$ 5 mil… a serie 6000 já é bem mais cara… mas basicamente a qualidade é parecida nas duas… a 6000 é ligeiramente melhor e muito mais rápida… mas talvez seja muito para você nesse momento inicial. O custo de impressão delas gira em torno de R$ 0,60 a folha A3 (sem o papel… terá o custo do adesivo que é caro).
      Por enquanto, como opção, procura a Padrão Color que ela tem um adesivo papel com verniz total, com ou sem corte e vinco, que atende muito bem esse nicho… um 9x5cm corte reto milheiro fica uns R$ 60 (varia com o seu volume de pedido).
      As ouras gráficas tem o vinil adesivo que também é muito bom, mas o custo é maior que esse… de qualquer forma dá para terceirizar o serviço e se tiver a laser o seu preço será competitivo para as pequenas e médias tiragens, que é o que essas empresas pequenas costumam pedir. Tenta a futura imbativel que é aí do seu lado.
      Espero ter ajudado.
      Abraços,

    • João,

      Fazer revistas com maquinário próprio é uma coisa bem cara… logo de cara precisará ter uma offset de 4 ou mais cores num custo de cerca de 1 milhão de reais, fora o resto.
      Mas nada impede de fazer a editoração da revista e terceirizar a produção da revista. Alguns grandes distribuidores possuem formatos já pré definidos (mais baratos) e sempre pode-se fazer orçamento para sua própria produção.
      De qualquer forma é um serviço caro por natureza, já que estamos falando de muito papel e impressão envolvido. fazer em laser nem pensar… ela só servirá para fazer um “boneco” para apresentar aos anunciantes.
      Me dá mais detalhes para eu poder te ajudar melhor.
      Abraços,

  13. Boa tarde, amigo.
    Gostaria de mais informações sobre SIMEI, pois estou querendo abrir uma gráfica mas já quero começar me formalização pois muitas pessoa pedem nota fiscal. Se possível fazer um post de como fazer isso passo a passo pois muitos como eu tem essa duvida.
    Obrigado, aguardo!

    • Paulo,
      Acessa a postagem https://www.cardquali.com/legalizar-ou-nao-legalizar-sua-operacao-grafica/ e olha o primeiro comentário e seguintes.
      Começa se cadastrando como MEI como serigráfista publicitário.
      O passo é fazer a busca prévia de local na sua prefeitura (aqui no Rio é pelo site da prefeitura), depois de ter o local aprovado vai no portal do empreendedor e faz o seu cadastro MEI (veja os comentários que falei), por ultimo vai na prefeitura com a papelada e obtem o alvará e permissão para nota fiscal. Daí já da para trabalhar.
      Os detalhes variam de local para local pois há a parte da busca prévia e alvara que funciona diferentes entre cidades. Isso dificulta a postagem.
      Querendo ajuda me passa mais dados por email que eu ajudo.
      Abraços,

  14. Olá amigos do Blog. Tem como postar uma relação de gráficas profissionais que podemos terceirizar nossos serviços com bons preços e qualidade???

  15. Obrigado pela resposta!
    Eu pensava em iniciar com baixa tiragem primeiramente.
    Parece que o custo de iniciar não é muito pequeno conforme o que você escreveu.
    Então não existe empresa onde se possa terceirizar esse tipo de serviço mesmo? Você tem parceiros que produzem livros em pequenas tiragens com boa qualidade e bons preços?
    Como fui incumbido de ajudar na produção de alguns livros de amigos que não querem se incomodar com isso, talvez eu inicie prestando esse serviço fazendo uso de empresas que já produzem nesse formato de baixa tiragem. Se você me puder recomendar algumas seria ótimo. Sou de Santa Catarina.
    Grato

    • Fabio,
      Eu já trabalhei com isso usando recursos muito simples. Eu fazia livros em baixíssima tiragem para pequenos escritores daqui da zona oeste do Rio. Fazia a capa em jato de tinta e o miolo em duplicador digital e o acabamento era feito manualmente com cola de madeira, prensas improvisadas e uma guilhotina manual que eu já tinha.
      O resultado enganava, mas não era top de linha. Para quem queria mostrar o trabalho para família e amigos dava para o gasto.
      De lá pra cá as impressoras laser ficaram mais em conta e pode-se imprimir o miolo a laser, dando um resultado melhor.
      Mas não dá para fugir da guilhotina manual.
      Achar quem terceirize esse serviço não é fácil.
      Se você entrar no google e colocar “livros pequena tiragem” vai ter algumas empresas que fazem isso… mas tem que pesquisar preço.
      Se quiser optar por adquirir uma laser cor, laser mono, laminadora… pode fechar nesse equipamento que encontrei aqui também… veja o vídeo no anuncio: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-707499474-encadernadora-hot-melt-livros-revistas-200-livros-automatica-_JM
      Faz essa pesquisa e descobre qual é o melhor caminho.
      Abraços,

  16. Olá Paulo! Fiquei realmente impressionado com seu blog e sua disposição em oferecer tratamento diferenciado não só com clientes mas também com aqueles que visitam seu blog. Parabéns!
    Minha pergunta se refere a impressão de livros em pequenas tiragens.
    Estou para abrir uma gráfica/editora de livros em pequena tiragem. (Claro, também penso em panfletos, cartões, folders mas o foco principal seriam os livros). Estou fazendo curso de diagramação, etc e felizmente já temos alguns livros esperando a “abertura” da nossa empresa.
    Aqui vai algumas perguntas. Espero que me possa dar “uma luz”:
    1. Parte burocrática: Vi uma resposta sua acima falando sobre o SIMEI. Seria isso para nós também, certo?
    2. Terceirização: Vi que a AtualCard e a ZAP não produzem livros. Você tem alguma dica? Procurei bastante mas não estou encontrando ou não estou pesquisando corretamente…
    Por enquanto é isso. Fico muito grato!

    • Fabio,
      Você quer fazer livros em que tiragem? Seria baixa tiragem ou altas tiragens?
      A parte burocrática é irrelevante. O SIMEI serve mas permite faturamentos de até R$ 5 mil mensais… isso é pouco para livros.
      O ME já te atende bem. Precisa registrar como editora e tem que se preocupar principalmente com a questão do alvará… tem que ver onde vai atuar e fazer uma boa busca prévia de local… aqui no rio fazemos pela web… mas tem cidades que é presencial na inspetoria municipal. O resto é só papelada… um bom contador pode te ajudar nessa questão.
      Os grandes distribuidores não fazem livros. Por um lado você fica sem opção, por outro te abre um mercado pouco explorado.
      O fechamento dos livros é meio complicado… pode ter livro apenas colado e os costurados… tem como automatizar mas começa a ficar mais caro.
      Tem empresas pequenas que se especializam em livros em baixa tiragem que trabalham com uma impressora preto e branco com tinta de baixo custo, uma laser, uma laminadora e uma maquina booklet como a que mostrei na postagem: https://www.cardquali.com/quer-fazer-livros-encadernadora-semi-automatica-hot-melt/
      Vai precisar de uma guilhotina boa também. Eu estou com parceria com uma empresa que tem bons preços nesses equipamentos. Vai gastar algo em torno de R$ 20 a R$ 30 mil em equipamentos.
      Tem também como terceirizar em editoras conhecidas como a Ediouro… mas aí é para grande tiragem.
      Lê aí o meu comentário e volta a entrar em contato para irmos refinando a idéia.
      Abraços,

  17. Boa tarde senhor Paulo li sua postagem e todos os comentários abaixo das pessoas.No meu caso eu não tenho interesse a princípio em ter uma gráfica.
    Minha ideia é quero fazer uma revista para meu salão ao vez de fazer um panfleto simples,gostaria de colocar dicas de cuidados em casa, dicas de saúde etc… mas tudo pensando em colocar em evidência meu salão tanto que pensei que o nome da revista também pode ser o mesmo nome do salão.
    E com o passar do tempo caso essa revista caia no gosto das pessoas e outros pequenos comerciantes como eu e queiram anunciar na revista ai sim poderia levar essa revista como um segundo negócio.
    Já fui ver preço de impressoras e minha preocupação é comprar um equipamento que não tenha o acabamento ideal para uma revista.Encontrei uma impressora da Brother modelo 6720 que de acordo com o vendedor e o site parece ser uma boa opção,também tenho dúvida de qual tipo de papel utilizar de acordo com as minhas pesquisas é o glossy.
    Minha preocupação a priore nem seria se vou ficar com o equipamento parado porque essa impressora não é tão cara e sim se a qualidade da impressão seria boa o bastante.Aqui onde moro existem diversas gráfica porém a maioria focam em vender quantidades e é claro como não sou um grande comerciante na hora de ver em detalhes a arte o cuidado com tudo o que vai ser colocado eles deixam a desejar não gosto do atendimento eles não se preocupam muito com isso e como isso me irrita e gosto da parte de criação também estou fazendo um curso para melhorar o pouquinho o que sei e eu mesmo.Espero que entenda minhas dúvida e desde já obrigado

    • Alexsandro.
      Fazer uma revista não é fácil. Você vai encontrar dificuldade na etapa da arte final, na impressão e na finalização da revista.
      Comprar um equipamento de laser simples para imprimir a revista só vai fazer ficar mais cara para você.
      Qualquer gráfica pode oferecer esse serviço para você. Ele não é barato, mas sairá bem mais barato do que voc~e imprimir com a brother por exemplo.
      Eu faço 1000 revistas papel couchê 80 g 15×21 cm fechada com 8 páginas a R$ 1562 feita em offset. Cada folha dessa brother vai te custar uns R$1 por face. Ou seja só de tinta você gastaria R$ 4 mil nessa máquina. Você não irá conseguir fazer nada mais em conta do que isso… e fazer uma revista para 100 pessoas não vai compensar para você… mesmo assim pegando serviços em pequena tiragem terceirizados ainda sairá mais em conta para você.
      O papel glossy só tem uma face glossy e só serve para jato de tinta… ele sozinho custa uns R$ 0,30 por folha A4.
      Existem empresas que imprimem a baixo custo em laser e tem equipamentos para montar essas revistas em baixa tiragem… mas isso vai te custar uns R$ 12 por revista.
      Você vai precisar também de guilhotina de produção, grampeadores profissionais… quando você ver vai deixar de trabalhar no Salão só para fazer a revista.
      Se quer fazer isso começa fazendo um ebook e enviando para o email de seus clientes… vai dar para sentir a dificuldade na parte de layout antes de ter grandes gastos.
      Boa sorte e abraços,

  18. Olá, abri uma gráfica rápida em meu bairro, pretendendo suprir as necessidades imediatas dos clientes e poder trabalhar perto de casa, visto a impossibilidade de emprego formal aqui.
    Estou indo bem, porém gostei bastante destas dicas, e gostaria de saber sobre o fornecedor, o zapmeta, o qual preferi, pois é exclusivo para gráficas e fornecedores, porém, como já está mais familiarizado com tais empresas, poderia me dar umas dicas sobre como fazer o contato com elas.
    Eu tenho aqui material para pequenas tiragens, impressora Epson L355, guilhotina, plastificadora P380, encadernadora, etc.
    Porém espero poder entrar logo em parceria como você aconselhou, pois é muito lógico e eficaz na minha visão.
    Obrigada pela atenção, também não estou sendo muito objetiva não é? rs
    Enfim, aguardo a resposta.

    • Viviana,
      Catei aqui na web a zapmeta e não encontrei… bateu num buscador. Eu nunca ouvi falar deles… não seria a zap grafica? Essa eu conheço e gosto.
      Terceirizando você ganha em qualidade e muitas vezes em preço. A sua impressora com tinta genérica tem custo bem baixo, mas não podemos considerar profissional. E se você pega 100 folhas para imprimir vai levar cerca de 5 horas ou mais nessa impressão. Acaba se tornando caro ficar vigiando a impressora todo esse tempo ( e acredite, ela tem um olhinho escondido que vai travar a impressão assim que sair de perto dela).
      Quando tiver um pedido um pouco maior como falei a pouco manda imprimir num lugar desses e verifica o resultado e aos poucos vai juntando serviço para imprimir junto barateando a impressão (ele barateia com a tiragem).
      Abraços,

  19. Paulo, Boa noite!

    primeiramente queria dizer que gostei muito do seu artigo!

    vamos ao assunto!

    estou querendo abrir uma gráfica rápida, porém tenho alguns problemas:

    – moro no interior do Ceará, em Ibicuitinga mais precisamente!

    – Não entendo ainda de artes, apesar de possuir uma base, mas, não sei trabalhar com Corel, Photo e Illustrator.

    – Capital em torno de uns R$ 15.000,00.

    junto a gráfica abriria também uma papelaria, onde a mesma ficaria na frente da loja e a gráfica na parte de trás!

    poderia me dar algumas dicas, elas seriam muito valiosas para mim no momento!

    agradeço o contato e abraços!

    • Romario,
      Antes de mais nada é importantíssimo aprender a operar o Corel Draw ou conseguir alguém com essa habilidade. Aqui no blog temos o curso de corel ministrado pelo Liute que é um grande começo. Ele não está completo, mas começar a aprender com um fera como o Liute é muito bom. Depois desse inicio gratuito entra no link do cursos 24 horas do lado do blog e investe num curso de corel que custa apenas uns R$ 40 e pode aprender quantas vezes quiser. Dá para entrar e recomeçar quanto precisar. Tem um curso na http://www.criativosfera.com.br sobre design que é muito bom também e vai tocar na parte da estética… também é barato.
      Resolvido a parte de saber operar os programas gráficos vai precisar saber onde conseguir produtos gráficos e como produzir por conta própria.
      Vou te indicar a AtualCard devido a facilidade de transporte deles. Eles tem entrega grátis em Fortaleza e em Iguatú e pelo que vi você está exatamente no meio do caminho. Eles tem um programa de agentes oficiais que permite que você tenha 10% de desconto nas compras e 3% nas entregas feitas na sua loja. Você ganha uma loja virtual com toda a linha deles e sempre que alguém comprar em qualquer loja virtual do grupo e marcar a entrega aí você recebe a sua parte. Pode ser um bom investimento no seu caso pois passará a receber os produtos dele com desconto e com entrega garantida.
      As demais empresas não tem um programa desses. Pode ser que a futuraimbativel ou a zap gráfica atenda mais perto de você, mas o cadastro deles fica limitado para eu visualizar daqui. Tem que fazer o contato. Por correio chega em qualquer lugar todas elas… algumas tem frete de correio grátis a partir de determinado valor.
      Não adianta pensar em abrir uma grande gráfica com o capital que você tem. O ideal é ficar com um bom capital para girar (pagar o seu fornecedor e segurar as despesas até que entre a grana das suas vendas) e alguns produtos básicos. O que pode comprar é um micro, uma impressora jato de tinta ou laser e depois tenta pegar uma laser de produção ou um plotter (parcelado), guilhotina e coisa e tal.
      Não vai ter mágica. É revender produtos de terceiros e fazer umas coisas mais modestas por aí para atender a demanda local.
      Faça um bom plano de negócios antes de começar, de modo a testar o preço de venda da região e a lucratividade.
      Pode até fazer um pedido teste com a gráfica escolhida e ver quanto tempo leva para chegar.
      Isso é em linhas gerais… precisando de mais dicas basta perguntar de novo aqui no blog.
      Abraços,

  20. Não sei quem escreveu tudo isso. Tive o interesse em ler, inclusive os comentários.

    Não ouví falar uma vez em ROI (Retorno sobre o Investimento)
    Não ouví ou lí nada sobre Plano de Negócios ou SWOT.
    Como vou me arriscar a entrar num ramo sem nenhum embasamento econômico-financeiro?
    Como vou entrar num negócio sem conhecimento do Mercado?

    Não precisa ser gráfica. Qualquer negócio que de retorno é um negócio.

    Um abraço,
    Thomaz Caspary
    PRINTCONSULT LTDA.

    • Thomás,
      Você leu os 340 artigos?
      O nosso público é composto em sua maioria de pessoas sem esse tipo de conhecimento e precisam de um linguajar simples.
      Eu tenho artigos que ensinam como adquirir equipamentos pagando com o próprio serviço da máquina. Outros ensinando onde fazer a avaliação prévia de um negócio (Canvas) e outros sobre plano de negócios.
      O conceito de Roi para uma pessoa desempregada, que começa a trabalhar com um investimento de R$ 25 e que ao final do mês consegue tirar com esses R$ 25 algo em torno de R$ 1500 por mês seria algo absurdamente otimista… essa é a realidade de um bom vendedor gráfico.
      Muitos aqui vem com orçamentos da faixa de uns R$ 5 mil pensando em montar uma gráfica completa. Isso mostra um pouco do meu público leitor.
      Eu tento mostrar para esse “povo” que trabalhar com gráfica é viável, desde que se use bem a terceirização de serviços e se foque na área de vendas, que é o que é fraco no setor.
      Acho que poucos terão dinheiro para fazer uma consultoria e abrir uma grande empresa, pois os financiamentos para uma pessoa típica do blog são coisas bem difíceis.
      Se você quiser postar algo sobre Roi ou sobre plano de negócios para esse perfil de cliente, estamos de portas abertas… pode deixar até os seus links, haja visto que somos lidos também por grandes empresas do setor que muitas vezes tem planos de expansão.
      Eu poderia usar o que aprendi em administração e contábeis para discorrer sobre esses assuntos, mas ficaria bem distante da realidade do blog… poderia afastar os leitores, que não são muito chegados a números, vejo isso pelas estatísticas das postagens mais técnicas.
      Estamos aqui as ordens,
      Abraços,

  21. Olá,estou querendo montar uma copiadora e gráfica rápida,tenho apenas R$20.000, quero alguns serviços como: encadernação,copia de livros,apostilas, cartão de visita,panfletos ,folders ou banner ;pois vi que nao compensa comprar um equipamento tão caro agora,não tenho pratica,estou fazendo um curso básico de Design gráfico,como começar,quais equipamentos para um inicio?alguns dizem que é melhor uma impressora à laser.outro jato de tinta,mas nao sei qual é melhor por exemplo:para imprimir um cartão no papel couchê,se vai dar um bom acabamento,a secagem,manutenção.Quais equipamentos poderiam me auxiliar nesses serviços e como cobrar por eles?

    • Agdo,
      Minha dica é manter o máximo de dinheiro a titulo de fluxo de caixa.
      É mais importante ter dinheiro para giro do que sair comprando equipamento pensando em ser independente.
      Uma offset com qualidade para fazer cartões e panfletos sai por mais de 500 mil.
      Você pode obter esses produtos dos grandes distribuidores e ir revendendo com boa margem de lucro.
      Quando se sentir seguro com suas artes e vendas, verifica o que está tendo mais demanda e começa a investir nessas áreas.
      A idéia é continuar a fazer as grandes tiragens com os distribuidores e ter alguma opção para as pequenas tiragens.
      Equipamentos interessantes são uma guilhotina de porte médio manual ou semi automatica ( de 1 mil a R$ 9 mil), impressoras jato de tinta ou laser… uma boa dica é comprar uma multifuncional Ricoh série 2500 por uns R$ 4 mil (usada) e ter um custo de impressão bem interessante com uma excelente qualidade (similar as pequenas tiragens dos distribuidores). A Jato de tinta vai ficar aquém em termos de velocidade e as laser de pequeno porte ão ter custo muito alto. Equipamentos de acabamento como plastificadoras, laminadoras, corte e vinco, e outros podem te dar um nicho para trabalhar.
      Mas o importante é: Não gaste todo seu dinheiro em equipamento… vá devagar e faça um bom plano de negócios.
      Se quiser falar conosco basta escrever. Podemos ajudar no seu plano.
      Abraços,

  22. olá paulo estou querendo iniciar uma grafica com meu cunhado ele já esta no ramo a um bom tempo e tem bastante conhecimento e clientes. estamos com o capital de 15 mil para iniciarmos do zero queria algumas dicas e também sua opiniao se seria bom nós compramos uma plotter de 1,80 financiada ou terceirizar o serviço? por terceirizado sairia o valor entre 35 a 40, no mais agradeço pela sua atençao.

    • Lourival,
      Por enquanto não compre nada. Use esse dinheiro para capital de giro e se foque em vendas terceirizando toda a produção.
      Você encontra nos grandes distribuidores essas lonas a menos de R$ 24 o metro. O custo da lona mais a tinta fica em R$ 7 o metro. Para pagar R$ 1 mil de prestação numa máquina dessas você teria que vender 50 metros apenas para pagamento da máquina. Dificilmente você venderá isso no inicio. Começe a vender, faça o mercado e depois pense na máquina.
      De acordo com as vendas, você sente a necessidade de seus clientes e vai adquirindo os equipamentos, pensando mais na flexibilidade do que no custo.
      Já pensou começar comprando um plotter e seus clientes só pedirem impressão laser? E você não ter como atender por estar até o pescoço de prestações?
      O seu maior bem é o dinheiro para giro. Muita empresa grande e com altos lucros fecha as portas por falta de capital de giro.
      Pense bem nisso.
      Abraços,

      • muito obrigado paulo pela orientação! eu moro na bahia seria viavel eu terceirizar este serviço por aqui ou ele vindo de outros estados tendo que pagar frete? pois as graficas por aqui irão mim cobrar o preço de consumidor obrigado.

      • Lourival,

        Sugiro você dar uma olhada nos sites http://www.atualcard.com.br e zapgrafica.com.br , verificar os valores dos produtos e a lista de locais com entrega gratuita. Você não citou a cidade em que está, mas deve ter alguma das entregas deles próxima a sua cidade, ficando o frete gratis, ou quase grátis.
        Dá uma olhada lá, faça alguns calculos e me fala se não vale a pena.
        Abraços,

  23. Muito obrigado pelas dicas, essa semana vou correr atrás disso para ver como é, e ai vou contando as experiências para vocês, agradeço mesmo de coração, pelas dicas e esforço. Realmente “Quem dá de bom coração (no caso o conhecimento), recebe muitas vezes mais. Que Deus abençoe.

      • Cara a uma semana conheci seu blog . Cara agora estou vendo uma luz no fim do tunel . cansei de sofrer indo na sala do microempreendedor e ser humilhado . tenho uma pequena grafica e terceirizava para outras graficas menores . algumas terceirizações de cartões etc Abraço Reinaldo Ricardo de Ribeirão Preto – SP

      • Legal ter gostado do blog.
        Para aqueles que já atendem revenda fica a dica de serem distribuidores locais das grandes gráficas.
        Muitos preferem ter a assessoria de alguém conhecido e confiável… isso abre uma janela de oportunidade.
        Creio que fazer cartões agora com a concorrencia com preços tão baixos acaba não compensando… mas ainda sobra ser u m distribuidor e investir nas coisas que os grandes não se interessem tanto… e quem sabe não se tornar um grane distribuidor em algum item.
        Procura coisas como relevo americano, relevo seco, ou mesmo sublimação, brindes etc… é dificilimo achar fornecedores.
        Convite em relevo americano dá para vender no Brasil inteiro… ninguém criou uma distribuidora desse tipo de produto.
        Se parar para pensar tem uma penca de serviços que poderiam ter um grande mercado a nivel nacional… é só pensar no que você é bom em fazer.
        Depois me conta!!!
        Abraços,

  24. Paulo,muito bom post… sou suspeito pra falar pois já li todos.. rs

    Rodrigo, faça cadastro como mei e enquadre como serviço de impressão para material publicitário. Não precisa de contador… paga um valor mensal de R$45 e pode faturar até R$ 5.000 mensal livre de imposto.

    Caso fature mais do que isso registre no simples como startup e tenha isenção de impostos para até R$10.000 de faturamento.

    • Leandro,
      Tem o SIMEI que é específico para serviços e enquadra como revendedor de serviços gráficos.
      Lê esse comentário que eu pincei do blog da AtualCard.
      “Mais uma vez o Blog trata de assunto dos mais importantes e aconselho a free-lancers ou outros profissionais autônomos a se formalizarem.
      O valor do imposto é baixíssimo (no máximo R$ 65,00 por mês) e apresentar-se como Pessoa Jurídica inspira muito mais confiança.
      A abertura de C/C Jurídica também é muito importante, pois algumas empresas só compram de quem tem CNPJ e Conta Jurídica.
      Para se enquadrar no SIMEI, em atividades de Design Gráfico e Comércio de Impressos, use os seguintes Códigos de Atividade (eu uso esses):
      – 7319-0/99 – Outras atividades de publicidade
      – 1813-0/01 – Impressão de material para uso publicitário
      – 1813-0/99 – Impressão de material para outros usos
      Até o final do ano não me enquadrarei mais no SIMEI. Passarei a ser ME, onde o teto de faturamento é maior, os impostos são maiores, terei que contratar um Contador, mas estou muito feliz, pois é um sinal claro de crescimento profissional e financeiro.
      Boa sorte a todos!!”
      O site do SIMEI : http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/

      Abraços,

  25. Paulo, faz um tempão que não faço comentários aqui no seu blog (graças ao bom DEUS tenho consigo crescer nos negócios), também trabalho eu e minha esposa e praticamente nos mesmos aspectos que o seu (e também estou vendendo no ML, logo mais vou estar chegando perto de você, kkkk), o mercado é tão grande que com certeza não precisamos nos odiar por isso…. Com sei um pouco da sua história (já li bastante o seu blog e me ajudou muuuuiiiitttoooo para tirar as dúvidas iniciais), agora venho tirar mais uma dúvida em relação ao nosso ramo.

    Muitos clientes têm me pedido nota fiscal e como entrante que sou (já estou no mercado a quase 1 ano), gostaria de saber se pode me dar algumas dicas de como devo enquadrar a minha empresa para o ramo de gráfica rápida, na ralidade trabalho com os cartões de visita, adesivos, banner fotográfico, blocos e talões e também na parte de comunicação visual, adesivos grandes formatos, e toda parte de comunicação visual e ainda revendo camisetas e uniformes personalizados, ou seja o que o cliente pede eu simplesmente resolvo a tenho um bom ganho com isso. Mas agora não sei como enquadrar essa empresa… Se puder me ajude, pois como bem sabemos os tempos atuais não aceitam erros…

    Seguindo os seus conselhos já comprei uma impressora e uma guilhotina e por incrível que pareça fizemos serviços para uma gráfica com mais de 20 anos no ramo…

    At. Rodrigo Martins – Ideia Graff.com

    • Rodrigo,
      Essa é uma dica que pesquei do blog da AtualCard (por isso o crédito). http://blog.atualcard.com.br/a-formalizacao-do-profissional-autonomo.html
      O caminho é o SIMEI.
      Um trecho do comentário do Marcio lá:
      “Mais uma vez o Blog trata de assunto dos mais importantes e aconselho a free-lancers ou outros profissionais autônomos a se formalizarem.
      O valor do imposto é baixíssimo (no máximo R$ 65,00 por mês) e apresentar-se como Pessoa Jurídica inspira muito mais confiança.
      A abertura de C/C Jurídica também é muito importante, pois algumas empresas só compram de quem tem CNPJ e Conta Jurídica.
      Para se enquadrar no SIMEI, em atividades de Design Gráfico e Comércio de Impressos, use os seguintes Códigos de Atividade (eu uso esses):
      – 7319-0/99 – Outras atividades de publicidade
      – 1813-0/01 – Impressão de material para uso publicitário
      – 1813-0/99 – Impressão de material para outros usos
      Até o final do ano não me enquadrarei mais no SIMEI. Passarei a ser ME, onde o teto de faturamento é maior, os impostos são maiores, terei que contratar um Contador, mas estou muito feliz, pois é um sinal claro de crescimento profissional e financeiro.
      Boa sorte a todos!!”

      Para acessar o SIMEI entra: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/
      Na aba superior no nome SIMEI

      Eu devo me registrar por esses dias e vou criar uma postagem com o caminho das indias… mas o básico está aí… é só seguir os roteiros apresentados.
      Já fiz a busca aqui em casa e o que não consegui como MEI consegui fácil com a área de serviços SIMEI (moro num apartamento na Barra da Tijuca – RJ).

      Tenta aí e divide a experiencia conosco.

      abraços,

  26. Oi amigos, eu conheço muito bem esta RICHO 6000 e sinceramente ela não é essa maravilha toda não, além de ser bem lenta se comparada com outras empresas da categoria ela nunca consegue imprimir 50 cópias por minuto, sem falar nas folhas engasgadas. É muito importante falar também que a RICHO tem que ser bem configurada para cada tipo de papel para o tonner não solta da folha. Quer uma dica? terceirizar é com certeza a melhor alternativa para quem está começando, nem pense em sair comprando toda máquina sem saber realmente se elas vão ser usadas com frequência..

    Abraço a todos

    • Juan,

      Muito boas as suas considerações. E sem dúvida devem ser levadas em conta.
      Eu já tive duplicador digital e passava por alguns desses problemas citados. Só acabaram quando passei a operar eu mesmo as máquinas tomando os devidos cuidados com a manutenção preventiva.
      A minha análise foi feita encima de amostras enviadas pelas revendas e por trabalhos por mim produzidos em alguns fornecedores meus.
      Eu gosto muito do resultado dessa máquina. E conheço várias outras a citar xerox, canon, minolta e outras mais, que mesmo sendo mais caras, apresentam um resultado bem pior do que o desta máquina.
      terceirizar é sim uma grande opção e a compra de uma máquina dessas deve ser avaliada de acordo com a quantidade que se imprime dos trabalhos… isso ficou bem evidente na continuação da postagem.
      Obrigado por expressar a sua opinião.
      Continue conosco.
      Abraços,

  27. Amigo, muito bom seu artigo.
    Estou abrindo junto com a minha namorada, a nossa gráfica digital.

    Sim, nosso serviço é exatamente esse. Personalizado, temos total atenção ao cliente. Vamos até ele, analisamos, e damos a solução que ele precisa.

    Quanto a impressora, depois de MUITO pesquisar, MUITO MESMO, eu comprei uma Jato de Tinta, a Canon Pixma IX6510.
    Fiz uma impressão e chamei meu ex-colega de trabalho, para ele comparar com as impressões a laser e off-set que tem lá na gráfica onde eu trabalhava(e ele trabalha atualmente).

    Ele só se convenceu que aquela impressão veio da minha Jato de Tinta, depois que ele viu ela imprimindo.

    Simplesmente, quero dizer que, a Canon Pixma IX6510 é a solução para quem quer ter a qualidade em impressos!

    Ela faz impressos em até A3+, e a qualidade realmente é 9600dpi. Estou nessa semana instalando o bulk ink, e creio eu, que com nossa alta quantidade de impressão, não teremos problema com cabeçotes entupidos. Ah, e ela imprime em A3+ sem margem! A folha inteira.

    Ela só não tem lá aquela velocidade(é bem lenta na melhor qualidade), mas a qualidade compensa.

    • Reyk,
      A questão principal a ser analisada não é bem a qualidade de impressão.
      As impressoras jato de tinta imprimindo em qualidade tem batido várias laser do mercado.
      O que deve ser avaliado é o custo e qualidade final do produto.
      Essa sua dica para pequenas tiragens ou para atender uma demanda rápida do cliente é muito boa.
      Mas em termos de se ver livre dos grandes distribuidores fica ainda longe de ser uma realidade.
      Suponha que você queira fazer panfletos… o valor de mercado nos distribuidores é algo como R$ 65 por 5000 unidades 10×14 cm… ou seja 1250 unidades em A4, já no papel couchê 80 g… isso dá 0,05 por folha. Com o bulk você vai empatar esse custo quando colocar a tinta mais o papel… e não será em couchê, pois essa máquina não imprime no couchê. E o tempo de imprimir isso levando em conta que em qualidade se leva mais de 1 minuto por folha seriam cerca de 208 horas de impressão… quase 9 dias imprimindo. Levando em conta que se recebe esses impressos em até 1 dia útil, vale muito mais a pena terceirizar.
      Vamos comparar agora com a hp officejet pro x e a Ricoh 6000… ambas trabalham a cerca de 50 páginas por minuto e tem boa qualidade (possivelmente melhores do que a canon)… erm termos de tempo elas conseguiriam atender esse serviço. Em termos de custo a HP conseguiria empatar, mas a Ricoh perderia… mas imprime no couchê.
      Como você pode ver existe mercado para vários equipamentos, mas terceirizar é de fato uma grande opção… todas as outras máquinas são voltadas ao mercado de baixa tiragem.
      Acho a sua escolha uma excelente opção… mas para esse mercado de menor porte. Lembre-se que vai precisar de uma guilhotina com uns 30 cm de boca e 2 cm de altura (cerca de 1 mil) para conseguir dar um pouco de qualidade nos seus impressos.
      Valeu pela participação!
      Abraços,

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here